uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Maria Conceição Almeida

Maria Conceição Almeida

61 anos, proprietária restaurante, Fátima

“Acho que Fátima deveria ser concelho. Há concelhos mais pequenos. O que também dava muito jeito era uma linha de caminho de ferro. A estação de Fátima fica quase em Tomar e há muita malta nova que vem de comboio”

Edição de 08.09.2010 | Agora falo eu
Concorda com a exigência da Câmara de Ourém de se retirarem os artigos religiosos das ruas de Fátima?Acho que é positivo. Dá mau aspecto a quem passa por Fátima, mas tem os seus prós e contras. Os comerciantes vendem muito menos, segundo dizem. As pessoas por vezes têm que se desviar nos passeios por causa dos artigos expostos. É lógico que o cliente vai à loja que tem o artigo cá fora. Eles têm a sua razão. Mas a imagem de Fátima realmente não é valorizada. Julgo que isto só se resolve com multas mais pesadas. E a fiscalização devia ser diária e não vir apenas em Maio e em Outubro. Há excesso de restaurantes em Fátima?Para o dia-a-dia sim, para os grandes movimentos está adequado. Mas no Inverno, não havendo turismo, não há lugar para tanto restaurante. Tem sentido a crise no seu negócio?Sente-se. Servem-se menos refeições diárias, os clientes têm menos dinheiro e há muito menos trabalhadores da construção civil a virem à diária. Nota-se sobretudo pela arca dos gelados. Está cheia. Só se vendem os gelados das crianças, porque eles choram.O que pensa das obras que têm sido feitas nas ruas de Fátima?Os acessos estão mais fáceis e parece-me que não estão confusos, puseram uns sentidos proibidos. Mas a saída da auto-estrada não devia estar tão em cima do Santuário de Fátima. Quando as pessoas chegam querem é estacionamento e aquele espaço fica congestionado. Não sei se é falta de informação, mas as pessoas seguem todas para a Avenida das Árvores, enquanto a avenida João XXIII permanece tranquila. Do que sente mais falta na sua cidade?Faz muita falta uma sala de cinema, uma piscina. Não me vou deslocar sozinha a Leiria ou a Ourém para dar um mergulho ou para ver um filme. Além disso, há tanta gente que vem a Fátima e não há um parque de campismo com as devidas condições, só os parques do santuário. Fátima tem muita população, há muita gente nesses apartamentos. Faz mais sentido uma piscina aqui que em Ourém. Fátima deveria ser concelho?Acho que sim, que deveria ser. Há concelhos mais pequenos. O que também dava muito jeito era uma linha de caminho de ferro. A estação de Fátima fica quase em Tomar e há muita malta nova que vem de comboio. O país está assim tão mal como se diz?Acho que o país está mal na televisão. A televisão faz muito alarmismo, mas as pessoas vão para o Algarve, para Fátima. Está tudo cheio. Vai-se a um jogo de futebol, um festival de Verão e aqueles sítios estão sempre cheios de gente. A crise está cá, mas os media fazem-na maior do que é.
Maria Conceição Almeida

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...