uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Árias de ópera iluminam “I Festival de Estátuas Vivas de Tomar”

Iniciativa decorre no fim-de-semana de 17 e 18 de Setembro e reúne 21 homens-estátua
Edição de 08.09.2010 | Cultura e Lazer
“Concerto de Sons e 21 silêncios” é o espectáculo que a soprano Ana Paula Russo e o tenor Frederico Almendra, sob a direcção do maestro Kodo Yamagishi, vão dar no sábado, 18 de Setembro, pelas 23h00, na Praça da República, em Tomar, no âmbito do “I Festival de Estátuas Vivas”. Actuam, em seguida, a Banda Militar do Porto sob a orientação do Maestro Tenente Alexandre Coelho e a Orquestra Ginásio Ópera. Antes, pelas 21h00, realiza-se um concerto de música barroca no Convento de Cristo pela Orquestra e Coro da Casa da Música do Porto. A componente musical é apenas um dos ingredientes da iniciativa, que se realiza no fim-de-semana de 18 e 19 de Setembro e vai representar, através da performance de homens-estátua, a História de Portugal com enfoque para a cidade de Tomar e o seu passado histórico. Desde a Idade Média até à República, ao todo são 21 artistas que vão vestir a pele de figuras históricas como Luís de Camões, D. Nuno Alvares Pereira, D. Filipe I, Fernando Pessoa, Marquês de Pombal entre muitas outras. O cenário foi preparado pela organização na continuidade do projecto “Máquina do Tempo” – uma iniciativa da Câmara Municipal, Agrupamento Escolar D. Nuno Álvares Pereira, Convento de Cristo e Instituto Politécnico de Tomar - para levar os participantes e os visitantes a uma viagem no tempo, revivendo a cidade de Tomar nas últimas décadas do século XIX, e culmina com a eleição da melhor Estátua Viva, que será feita pelos visitantes no domingo. De acordo com o presidente da Câmara de Tomar, Corvêlo de Sousa, o Festival de Estátuas pretende ser o grande evento dos anos em que não se realiza a Festa dos Tabuleiros. “2011 será excepção, com os dois acontecimentos a decorrem, um em Julho, outro em Setembro, de modo a criar a habituação que um novo evento naturalmente precisa para singrar”, assina Corvêlo de Sousa no editorial do último Boletim Informativo Municipal que dá grande destaque ao evento.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...