uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Escola Internacional de Línguas atribuiu diplomas a 50 alunos

Escola Internacional de Línguas atribuiu diplomas a 50 alunos

A EIL possui quatro professores nativos de inglês de diferentes proveniências
Edição de 15.09.2010 | Economia
A Escola Internacional de Línguas (EIL) de Santarém entregou, sexta-feira, 50 diplomas a alunos que cumpriram o ano lectivo em cinco níveis de aprendizagem de inglês e um nível de alemão. Foi o terceiro ano consecutivo que a cerimónia se realizou no Teatro Sá da Bandeira, em Santarém, e serve para distinguir publicamente os alunos que progrediram no ano lectivo que findou.Enquanto aos pais encheram a plateia junto aos filhos, no palco ladearam a directora da EIL, Eduarda Reis, quatro dos melhores alunos da escola e os professores nativos de inglês - Amanda, John, Ruth e Francesca - que falaram da sua experiência e das suas origens, em palavras traduzidas pelos estudantes.Não faltam exemplos de sucesso e motivação no estudo da língua inglesa e na utilidade que ela tem e pode vir a ter nas suas vidas. Inês Ferreira foi uma das fundadoras da escola há 13 anos. “Já não é ir à escola, é como ir ter com pessoas com conheço há muito. O inglês é um instrumento de trabalho que serve para o futuro. Sabe bem, depois de muitos exames, ter um diploma”. Para a mãe, Cristina Ferreira, o sucesso da filha é um orgulho. Ana Paula Silva está satisfeita com o desempenho do seu filho, João Pedro, que frequenta a escola há cinco anos e sempre integrou o quadro de excelência. “O inglês é importante em qualquer curso”, defende a mãe. Filipa Fernandes, de 18 anos, optou pelo alemão. “É parecido com inglês, apenas os sons e regras de gramática marcam a diferença”, conta a aluna de Santarém. A directora da EIL salienta as alterações introduzidas pela escola para que os alunos possam ingressar no ensino superior já com os diplomas atribuídos. “Com esta alteração esperamos que os alunos atinjam níveis superiores de aprendizagem e fluência do inglês quando vão para a universidade”, afirma Eduarda Reis.Professores nativos de diferentes origensA EIL possui quatro professores nativos de inglês de diferentes proveniências. Amanda Santos nasceu na África do Sul. Está há 17 anos em Santarém, ministrou aulas de inglês noutra escola e é docente da EIL há oito anos. “Temos um nível de alunos com bons conhecimentos. A melhor forma de aprender fora da escola é vendo televisão sem legendas e procurar associar palavras aos sons”, sugere.Francesca Galea é maltesa e a mais recente aquisição da EIL, país onde convivem a língua nativa e o inglês. Está em Santarém há duas semanas e garante que está a gostar da experiência. John Silva, outro sul-africano, lecciona na EIL há dois anos. Ruth Colligan é natural de Newcastle, Inglaterra. É professora na EIL desde Abril e considera positiva a experiência. “Não é muito difícil, os alunos já possuem bons conhecimentos e comportam-se melhor do que os ingleses”, garante. Expressar em inglês perfeitoAna Varela dos Reis, 20 anos, de Santarém, evidencia grande fluência na pronúncia e expressão em inglês. Em dez anos cumpriu todos os níveis de aprendizagem. Frequenta o terceiro e último ano do curso de Ciências da Comunicação. Deixa a receita do sucesso: “Para além do interesse na língua, pessoal e profissional, torna-se fácil interpretar tudo à volta, livros, internet e vai servir para qualquer profissão, incluindo o jornalismo. Uma das vantagens da EIL é que a vertente oral é muito treinada, porque a pronúncia tem de ser correcta”, opina a antiga aluna da escola.
Escola Internacional de Línguas atribuiu diplomas a 50 alunos

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...