uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Comissão Política do PSD de Vila Franca de Xira vai pedir reunião à Ministra da Saúde

Encerramento do Serviço de Atendimento Complementar da Póvoa gera contestação
Edição de 22.09.2010 | Sociedade
A Comissão Política do PSD de Vila Franca de Xira anunciou em conferência de imprensa, esta segunda-feira, dia 20 de Setembro, que vai pedir uma reunião com a Ministra da Saúde, através da Comissão Parlamentar de Saúde, de forma a contestar o encerramento do Serviço de Atendimento Complementar (urgências) da Póvoa de Santa Iria à noite e aos fins-de-semana, e que afecta cerca de 60 mil utentes. O presidente da Comissão Política Concelhia do PSD, Rui Rocha, considera que a medida, que entrou em vigor a 1 de Setembro, demonstrou “uma grande falta de respeito e consideração pelos cidadãos contribuintes”, que foram agora remetidos para o “sobrecarregado” Centro de Saúde de Alverca do Ribatejo.“No Centro de Saúde de Alverca, a situação por vezes é de alguma forma caótica, isto ainda antes da centralização do Serviço de Apoio Complementar. Portanto esta decisão afecta os utentes também de Alverca do Ribatejo e os restantes, demonstrando irresponsabilidade das partes que tomaram a decisão”, sublinha o responsável, acrescentando que a data escolhida para tomar esta medida (em pleno período de férias) também não foi inocente.“É dito que a medida afecta cerca de 59 mil utentes de três freguesias, mas na prática afecta também as freguesias de Alhandra, Alverca, Calhandriz, S. João dos Montes e Sobralinho, servidas em Atendimento Complementar no Centro de Saúde de Alverca”, aponta Rui Rocha, que lembra que os utentes deste centro esperam várias horas de pé para serem atendidos e que por vezes esperam mais de um mês para ter acesso a médico.O social-democrata considera que a situação se agrava ainda mais, tendo em conta que a cidade da Póvoa de Santa Iria tem praticamente o dobro do número de utentes considerados valor exigível para o Centro de Saúde Urbano pelo Ministério da Saúde.Entre as medidas apresentadas na conferência de imprensa de dia 20 de Setembro, Rui Rocha referiu ainda que será solicitada com carácter de urgência uma reunião à direcção do Agrupamento dos Centros de Saúde e vai solicitar ao grupo parlamentar do PSD que questione o Governo, “para esclarecer que política de saúde pública é esta, que encerra serviços nos centros urbanos com elevada densidade populacional”.“A nível das estruturas locais, vamos continuar a pressionar os Autarcas, quer da Câmara Municipal, quer das Freguesias da Póvoa de Santa Iria, de Vialonga, do Forte da Casa e de Alverca do Ribatejo, para que não se deixem acomodar, e para que se mantenham nesta posição de pressionar a ARS e o Agrupamento no sentido de resolver esta questão”, referiu o presidente da Comissão Política Concelhia do PSD.Recorde-se que a directora do Agrupamento de Centros de Saúde de Vila Franca de Xira anunciou, em finais de Agosto, o encerramento parcial do serviço de urgências da Póvoa de Santa Iria devido à falta de recursos para manter em simultâneo os centros da Póvoa e de Alverca. “O acordo colectivo de médicos permite que os clínicos com 50 anos possam pedir dispensa de trabalho entre as 20h00 e as 08h00. Como a maioria se encontra nessa faixa etária e accionou esse mecanismo deixei de ter médicos suficientes para assegurar o serviço nesses dois centros de saúde e por isso resolvi juntá-los num só”, explicou na altura Marília Alves.A medida não foi bem recebida por alguns partidos políticos locais, nomeadamente o PSD, que avança agora com medidas para contestar esta decisão.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...