uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Tecnologia vai ajudar a combater roubos de cobre no meio rural

Tecnologia vai ajudar a combater roubos de cobre no meio rural

Protocolo assinado na Golegã envolve dois ministérios, agricultores e EDP

Sistema de alarme e geo-referenciação permite às forças de segurança detectar qualquer furto nos campos agrícolas em tempo real.

Edição de 22.09.2010 | Sociedade
O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, e o ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas, António Serrano, estiveram sábado, dia 18, na Golegã para a assinatura de um protocolo de “Segurança no Meio Rural”. Pretende-se com essa medida responder ao “aumento da criminalidade no mundo rural, com furtos crescentes de sistemas de rega e cobre” e “utilizar o factor segurança como instrumento de luta contra a desertificação” em Portugal. O projecto “Ribatejo Seguro” consiste “num esquema de alarme e geo-referenciação que permite às forças de segurança detectar em tempo real qualquer furto” de materiais do mundo rural, sobretudo os que têm cobre, explicou Rui Pereira. “Estou certo que vai dar resultados”, afirmou Rui Pereira, indicando que vai realizar-se o acompanhamento deste projecto-piloto, com o objectivo de estendê-lo a outras regiões do país. “Apela a uma ideia que nos é muito cara que é o envolvimento da tecnologia para elevar os níveis de segurança e a prevenção da criminalidade”. O plano envolve os ministérios da Administração Interna e da Agricultura, Governo Civil de Santarém, forças de segurança, as associações de agricultores e a EDP. Rui Pereira destacou aquele como um “protocolo histórico”, uma vez que os esforços a nível de segurança têm sido direccionados para as grandes cidades. António Serrano, ministro da Agricultura, disse esperar por “resultados efectivos” com a introdução do novo programa de segurança, “em resposta ao aumento da criminalidade registado em meio rural”. “Temos agora uma tecnologia de suporte inovadora ao serviço do controlo da segurança nesta região piloto, e esperamos por resultados efectivos na diminuição de roubos, nomeadamente de cobre, que prejudica seriamente a actividade agrícola e da EDP”, afirmou.O director adjunto da EDP Distribuição estimou em 4 milhões de euros os prejuízos a nível nacional “derivados de furtos de cobre e consequente reposição de serviços”. Segundo disse Nuno Cardoso, “a tendência é crescente e os números apurados relativamente ao período homólogo do ano transacto representam um aumento na ordem dos 40 por cento de prejuízos directos, sendo certo que os cortes de energia têm também reflexos negativos na actividade produtiva das empresas”.Agricultores defendem penas mais pesadasOs agricultores do distrito de Santarém, por sua vez, reivindicaram na última semana a adequação do quadro de moldura penal para os casos “crescentes” de furtos de cobre e sistemas de rega que têm causado “insegurança e graves prejuízos financeiros” na região. O presidente da Agrotejo, associação que representa os agricultores do norte do Vale do Tejo, disse “não acreditar que nada disto resulte enquanto não for alterada a actual moldura penal”.Alfredo Orvalho considerou a medida apresentada “importante”, - permite detectar um furto em tempo real e saber onde está a ocorrer -, tendo considerado que o mesmo “está muito longe de resolver o problema do mundo rural”. “É que, detectado o meliante, ele é detido e presente a tribunal, mas depois a moldura penal prevista em Lei liberta-o e fica tudo na mesma”, observou.Protocolos de prevenção rodoviária assinadosAinda no âmbito do projecto “Ribatejo Seguro” foram assinados mais dois protocolos de “Prevenção Rodoviária”, entre o Governo Civil de Santarém, forças de segurança, Federação dos Bombeiros, escolas de condução e associações motorizadas/desportivas da região. Segundo a governadora civil de Santarém, Sónia Sanfona, a estratégia vai passar por transmitir informação sobre segurança rodoviária e de socorro em escolas, para que os mais novos tenham a percepção do que vão encontrar nas estradas.Junto das associações de motards encontrou-se ainda “um canal privilegiado” para divulgar esta mesma informação, nos eventos por estes organizados. Na ocasião foi apresentado um panfleto que será distribuído nessas ocasiões, onde são referidas algumas contra-ordenações graves e muito graves, assim como comportamento ao volante em caso de mau tempo e conselhos sobre segurança.
Tecnologia vai ajudar a combater roubos de cobre no meio rural

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...