uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Judiciária procura enxada em bronze com 70 quilos

Judiciária procura enxada em bronze com 70 quilos

Roubaram parte de escultura que ex-presidente da Câmara de Alpiarça manteve fechada durante 12 anos

Depois de ganhar a presidência da Câmara de Alpiarça no final de 1997, o socialista Joaquim Rosa do Céu teve a escultura fechada numa adega da Casa dos Patudos.

Edição de 29.09.2010 | Sociedade
Desapareceu parte de uma escultura que foi mantida “escondida” durante doze anos pelo ex-presidente da Câmara de Alpiarça, Joaquim Rosa do Céu (PS). A peça da autoria do escultor Armando Ferreira, de homenagem ao povo de Alpiarça, tem estado numa adega da Casa dos Patudos e na semana passada verificou-se que tinha sido roubada a enxada com cerca de 70 quilos que faz parte da escultura de um trabalhador a cavar. O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária que já recolheu vestígios no local. A peça escultórica tinha sido encomendada pelo ex-presidente da autarquia, Raul Figueiredo (CDU), e era para ser inaugurada antes das eleições autárquicas de 1997. Mas nessa altura o espaço cedido pela autarquia para o escultor fazer a peça tinha sido assaltado e partiram-lhe a cabeça e o braço, segundo recorda o ex-autarca. Situação que fez adiar a colocação da escultura prevista para a praça velha (Largo Vasco da Gama), também conhecida por praça de jorna, que foi palco de lutas dos trabalhadores agrícolas por melhores condições. Raul Figueiredo acabaria por perder as eleições no final de 1997 para o socialista Rosa do Céu, que nunca colocou a escultura no espaço público. Agora que o novo executivo camarário saído das eleições de Outubro do ano passado estava a tentar trazer a peça à luz do dia acontece mais um percalço. Vanda Nunes (PS), que assumiu a presidência da Câmara de Alpiarça no final do mandato passado com a saída de Rosa do Céu para a Entidade Regional de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, chegou a incluir a instalação da estátua na requalificação da praça velha. O roubo de parte da peça em bronze é algo estranho, até porque o local está equipado com alarmes e câmaras de videovigilância, que terão sido desligados pelos assaltantes. Na altura o guarda-nocturno estava de férias e não tinha sido substituído, situação que levou a câmara a abrir um inquérito para apurar responsabilidades. Entretanto a escultura já foi removida para outras instalações. O actual presidente da autarquia, Mário Pereira (CDU), está esperançado que as autoridades consigam encontrar a peça. Mas se tal não for possível, disse o autarca a O MIRANTE, terá que se encontrar uma solução técnica em conjunto com o autor para a recuperar. Uma vez que o novo executivo está empenhado em colocar a escultura no espaço público.
Judiciária procura enxada em bronze com 70 quilos

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...