uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Junta do Couço pode comprar antigo poço de lote da zona industrial

Junta do Couço pode comprar antigo poço de lote da zona industrial

Câmara de Coruche e junta estão disponíveis para o negócio

Por resolver continua o processo interposto em tribunal pela junta a reivindicar a posse do lote

Edição de 29.09.2010 | Sociedade
A Junta de Freguesia do Couço está disponível para apresentar uma proposta de aquisição do lote 26 da zona industrial da freguesia onde está implantada a fonte da Antonica, que a junta considera ser um símbolo do abastecimento de água à vila.Depois de um processo no qual a Junta do Couço interpôs em tribunal uma providência cautelar para travar a venda do lote pela câmara a um privado que ali queria instalar uma superfície comercial, que foi recusada, prossegue uma acção principal no Tribunal Administrativo e Fiscal de Leira de reivindicação pela posse do lote pela Junta do Couço. Apesar da situação, o tempo é agora de negociação. “A 19 de Agosto falei com o presidente da câmara e disse-lhe que era nossa intenção apresentar uma proposta de compra do lote. O senhor presidente concordou que o negócio pode ser feito”, conta Luís Alberto Ferreira (CDU) a O MIRANTE. Para o autarca, a disponibilidade na compra do lote não é admissão de derrota de quem ainda reivindica a sua posse através dos tribunais. Luís Alberto Ferreira recorda que, ainda no mandato do anterior presidente da junta, Diamantino Ramalho, a junta já reclamava posse da área envolvente ao poço e que foi uma surpresa quando a câmara constituiu a zona industrial e vendeu o lote a um privado. “Se não interpuséssemos a providência cautelar, mesmo que tenha sido recusada, se calhar o proprietário acaba por não desistir como fez e a fonte podia vir a ser destruída no futuro. Em termos históricos a área do poço até é bem maior e abrange dois hectares, não apenas aquele lote”, comenta o autarca.À reunião de câmara de dia 15 chegou a informação da junta a disponibilizar-se para comprar o terreno. Para o presidente da Câmara de Coruche, Dionísio Mendes (PS), é um sinal que a junta reconhece que o lote sempre foi pertença do município. “Esta situação motivou uma guerra política, gastos de recursos com advogados e tribunais. A Junta do Couço deixou cair a bandeira mas a câmara não tem qualquer constrangimentos em vender o lote. Desde que a junta faça uma declaração formal a garantir que desistiu do processo interposto no Tribunal de Leiria”, explanou o edil. Luís Alberto Ferreira diz que só retira o processo em tribunal quando o lote estiver em nome da junta de freguesia.A necessitar de acerto está a forma como o negócio se vai processar. Dionísio Mendes falou em pôr o lote à venda através de edital com os restantes lotes disponíveis da zona industrial, enquanto Luís Alberto Ferreira pensa num negócio directo entre as partes.
Junta do Couço pode comprar antigo poço de lote da zona industrial

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...