uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Jogo emotivo com todos os condimentos

Jogo emotivo com todos os condimentos

Só faltou o bom futebol que a chuva torrencial não deixou jogar

Clube Atlético Riachense e a Associação Desportiva Nogueirense disputaram, domingo, um jogo emotivo a que não faltaram condimentos. A incerteza no resultado, o árbitro lesionado e substituído ao intervalo, uma tentativa de invasão de campo, um excelente comportamento disciplinar dos jogadores, só faltou o bom futebol que a chuva torrencial não deixou jogar.

Edição de 07.12.2010 | Desporto
À entrada para este jogo, Riachense e Nogueirense estavam separados por um ponto, com vantagem para a equipa visitante e no final essa vantagem manteve-se. O jogo foi emotivo, a chuva caiu com grande intensidade durante quase todo o jogo deixando o terreno quase impróprio para se jogar, mas os jogadores de ambas as equipas foram heróis e entregaram-se com alma e, sobretudo, com grande disciplina.O Riachense marcou primeiro. Quando iam decorridos sete minutos, o defesa esquerdo Gonçalo subiu pela sua ala, e perto da linha de fundo centrou com precisão para a cabeça de Miguel Luz que, ao segundo poste, não perdoou e bateu Rui Vale. Estava feito o mais difícil naquele terreno.O Nogueirense estava remetido praticamente à sua defensiva, e durante toda a primeira parte o guarda-redes do Riachense, Rui Galrinho, foi quase um mero espectador. Quase porque aos 30 minutos, no único lance perto da baliza Riachense, Paulito derruba um adversário, e na cobrança do livre directo, Nuno, com um remate indefensável empatou o jogo.Na segunda parte, com o terreno ainda em pior estado, com o árbitro Pedro Pereira lesionado e substituído por um dos árbitros assistentes, que por sua vez foi substituído por um elemento indicado pelos responsáveis do Nogueirense, o jogo piorou. O árbitro de então Ricardo Francisco, com algumas decisões difíceis de entender, fez acirrar os ânimos entre a assistência, que chegou a esboçar uma invasão de campo, rapidamente controlada pelas forças da ordem e pelos responsáveis do Riachense.No final o empate 1-1 ajusta-se ao desenrolar do jogo. O Riachense dominou na primeira parte. Na segunda os forasteiros estiveram melhor.O empate satisfez os dois treinadoresNo final do jogo, os dois treinadores estavam satisfeitos com o empate. O treinador do Nogueirense, Pedro Ilharco salientou o esforço feito pelos seus jogadores, num terreno quase impraticável “e frente a uma excelente equipa. Ninguém merecia perder”, disse.Do outro lado, o jovem treinador, Nando Costa afinava pela mesma bitola. “Pelo que se passou em campo o empate é o resultado mais certo, nós jogámos mais na primeira parte, o Nogueirense foi mais forte na segunda”, disse.Mas Nando Costa é um treinador satisfeito com o trabalho desenvolvido pelos seus jogadores. “Estamos a discutir os primeiros lugares porque os jogadores trabalham muito e bem, são homens na verdadeira acepção da palavra”, garantiu. Acrescentando que ele é uma peça do puzzle, sem mais valor do que o de orientar e ajudar a manter o grupo “unido e coeso”.“Os jogadores é que são o bom do futebol e eles têm dado tudo. Por isso o grupo de trabalho, treinador, jogadores, direcção, massagistas, roupeiro e todos os que andam à volta da equipa, está unido e se eu tenho uma cota parte nisso é porque sou amigo de toda agente e todos são meus amigos”, garantiu. Monsanto perdeu em casaNo outro jogo do Campeonato Nacional da III Divisão disputado em Monsanto a equipa da casa perdeu 1-0 com o Oliveira do Bairro, permitindo a aproximação do seu adversário, que agora está a apenas um ponto de distância.
Jogo emotivo com todos os condimentos

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...