uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Confraria da Gastronomia do Ribatejo realiza IX Capítulo em Azambuja

Edição de 07.12.2010 | Sociedade
A Confraria da Gastronomia do Ribatejo vai realizar o IX Capítulo da sua história no próximo dia 12 de Dezembro, em Azambuja. O evento, que contará com a presença de representantes de diversas outras confrarias a nível nacional, ocorre na altura em que o grupo ribatejano comemora 10 anos de existência.O programa do encontro começa com um “mata-bicho” típico da região, que serve de acolhimento aos participantes e primeiro espaço de convívio. Pelas 11h00, os convivas vão digerir o petisco com um desfile apeado pelas ruas Vitor Córdon e Engº Moniz da Maia, dirigindo-se ao auditório municipal – no Páteo Valverde – onde terá lugar a cerimónia do capítulo. Este momento solene será composto por uma comunicação relativa aos 10 anos da elevação da gastronomia portuguesa a património cultural, bem como pela entrega de diplomas e distintivos aos confrades fundadores e pela entronização de novos confrades. Destaque para a atribuição ao Município de Azambuja do diploma e insígnia correspondente ao grau “Confrade de Mérito”. Após a sessão, terá lugar o momento de convívio por excelência, o almoço com ementa tipicamente ribatejana.De referir que a Confraria da Gastronomia do Ribatejo, com sede em Santarém, é membro fundador – e actual vice-presidente – da Federação Portuguesa das Confrarias de Gastronomia. Conta com mais de uma centena de confrades e tem como dirigentes José António Marques, “provedor da burra-de-ferro” (Presidente da Direcção); Carlos Manuel Abreu, “grão-mestre da adiafa” (Presidente da Assembleia Geral); e Germinal Vargas Rodrigo, “averiguador-mor do mata-bicho” (Presidente do Conselho Fiscal).A confraria tem como objectivos fazer a investigação e divulgação do Património Gastronómico Ribatejano, sem, no entanto, reprimir a sua evolução natural e adequada a processos tecnicamente tidos como correctos, bem como incentivar a investigação do património gastronómico ribatejano nos seus múltiplos aspectos: receituário, arte e técnica da cozinha tradicional, pesquisa das antigas casas de comida, cozinheiras e cozinheiros famosos, evolução dos pratos e todos os outros que permitam fazer a reconstituição histórica da cozinha dos nossos antepassados e afirmar a sua razão de ser nos dias de hoje.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...