uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Moita Flores critica vereador do PSD de Azambuja por ter votado contra requalificação da praça de toiros

Moita Flores critica vereador do PSD de Azambuja por ter votado contra requalificação da praça de toiros

Escritor e autarca exortou populares a subscrever a petição “Em defesa da festa brava”

Moita Flores foi à Azambuja receber um prémio por se ter destacado como figura taurina 2010 e criticou o vereador local do PSD que votou contra a requalificação da praça de toiros, que está actualmente interditada. O eleito azambujense, António Jorge Lopes, diz que não está contra as touradas, mas sim contra a obra em altura de crise e esclarece que até foi um dos primeiros subscritores da moção do escritor “Em defesa da festa brava”.

Edição de 07.12.2010 | Sociedade
O escritor e presidente da Câmara Municipal de Santarém, Francisco Moita Flores, eleito pelo PSD, criticou publicamente a oposição na Câmara Municipal de Azambuja que está contra a obra de requalificação da Praça de Toiros da vila.“No futuro os candidatos à câmara Municipal de Azambuja têm que dizer claramente se são contra ou a favor dos toiros”, disse imediatamente apoiado por uma efusiva salva de palmas, durante a gala dos triunfadores da temporada 2010 da Associação Cultural Poisada do Campino, que decorreu no sábado à noite, em Azambuja.“O PSD não pode ter uma postura em Azambuja e outra diferente em outros concelhos”, disse, referindo-se mais concretamente ao eleito do PSD que votou contra a proposta. A Praça de Toiros de Azambuja encontra-se actualmente interditada pelo Instituto Electrotécnico Português (IEP) desde Junho de 2010 por não reunir as condições mínimas para a realização de espectáculos tauromáquicos. A maioria socialista na Câmara Municipal de Azambuja aprovou a 23 de Novembro a proposta de intervenção na praça que custará 600 mil euros. O vereador da CDU e da Coligação Pelo Futuro da Nossa Terra (PSD/CDS-PP/MPT/PPM) votaram contra.Contactado pelo Jornal O MIRANTE António Jorge Lopes disse que não foi à festa da associação por razões pessoais. Não responde directamente a Moita Flores, mas deixa um recado: “Só por manifesta má-fé é que se pode concluir que quem votou contra a reconstrução da Praça de Toiros de Azambuja é também contra a festa brava. Eu subscrevi a petição lançada por Moita Flores em defesa da festa brava”.O eleito da Coligação, António Jorge Lopes, considerou a obra uma irresponsabilidade na altura da votação: “Nós sempre defendemos a construção de uma nova praça, mas não agora. É uma irresponsabilidade face à actual situação económica do país, à situação financeira da Câmara de Azambuja e a todos os que vão receber menos e pagar mais impostos no próximo ano”. António Jorge Lopes diz que foi o primeiro a defender que Azambuja tivese uma Praça de Toiros multiusos há cerca de 10 anos, mas declara que este não é o tempo certo para avançar com este tipo de obras pois as famílias estão a sofrer com actual crise económica. “Nunca vão compreender porque se vai gastar agora centenas de milhares de euros numa obra de carácter transitório”.O eleito lembra ainda que apresentou uma solução alternativa de aluguer de uma estrutura para espectáculos tauromáquicos durante o Mês da Cultura Tauromáquica e para a Corrida da Feira de Maio, como aliás fez a Câmara de Alenquer, que apenas gastou cinco mil euros.Moita Flores, que foi premiado na gala como “Figura Taurina de 2010”, aproveitou para exortar a plateia a subscrever a moção que lançou “Em defesa da festa brava”. TRIUNFADORES DA ÉPOCA DISTINGUIDOSAlém de Moita Flores a Associação Cultural “A Poisada do Campino” de Azambuja distingui ainda, durante a cerimónia de entrega dos prémios aos triunfadores da época, Carlos Sequeira, Joaquim Martins e Carlos Fidalgo com o prémio “Dedicação”. Os Amadores de Azambuja foram galardoados na categoria “Grupo de Forcados” e André Miranda, deste mesmo grupo, foi considerado o autor da “Melhor Pega”. No sector a cavalo foram homenageados João Moura Caetano (Cavaleiro de Alternativa), Tiago Martins (Cavaleiro Praticante) e Paulo D' Azambuja (Cavaleiro Amador). No toureio apeado as honras foram para Paulo Sérgio (Bandarilheiro) e Eduardo Pereira (Novilheiro).A gala 2010 de “A Poisada do Campino” distinguiu ainda os campinos José Manuel Dias e Gabriel Lopes Silva, bem como a ganadaria Herdeiros Cunhal Patrício. O prémio de Bezerrista foi entregue a João Martins.No campo da aficion o troféu foi para António Pedro Santos Santana. A empresa distinguida na época agora finda será a “Aplaudir Eventos, Lda.”. Por fim a distinção ao nível da Imprensa da especialidade foi para a revista “Contra Barreira”.
Moita Flores critica vereador do PSD de Azambuja por ter votado contra requalificação da praça de toiros

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...