uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Opiniões dividem-se relativamente ao projecto “Fátima Cidade Natal”

Opiniões dividem-se relativamente ao projecto “Fátima Cidade Natal”

Projecto vai animar a cidade durante a época natalícia prolongando-se até 2 de Janeiro

Investimento avultado em tempo de crise motiva críticas. Uma árvore de Natal gigante, uma exposição permanente de presépios de tamanho natural, uma pista de gelo e a casa do Pai Natal são alguns dos atractivos.

Edição de 07.12.2010 | Sociedade
A montagem de uma pista de gelo e uma árvore de 25 metros, assim como o interesse das televisões para a iniciativa, chamaram a atenção dos habitantes e comerciantes de Fátima, que olham com expectativa para o projecto “Fátima Cidade Natal”. Se para alguns o evento, a decorrer de 8 de Dezembro a 2 de Janeiro, era dispensável numa cidade como Fátima, para outros este pode ser o ponto de partida para o futuro, dinamizando uma época morta para o comércio local. “Nesta altura não vem ninguém, não há excursões, faz muito frio”, refere André Marques, proprietário de uma pastelaria em Fátima. “Penso que se vierem realmente visitantes, serão apenas as pessoas da zona e mesmo assim não sei”, comenta. Os 105 mil euros gastos pela Câmara de Ourém deviam ter sido guardados para outras necessidades, refere. A mesma opinião é partilhada por Marco Alexandre Bilreiro, da Freixianda, ou Dineia Antunes, de Fátima. A ideia é “interessante”, referem, mas o lucro obtido não vai compensar o dinheiro gasto pela autarquia no projecto.Um olhar mais crítico é lançado por Manuel de Sousa, habitante de Fátima. “Devia de haver mais prospectos a informar do programa. Já vimos notícias na televisão, mas não sei onde as coisas estão a ser montadas”. E acrescenta: “As ideias são sempre boas, mas não acredito que consigam rentabilizar o dinheiro investido. Talvez para o futuro haja mais retorno… Mas mesmo este ano até podemos ter uma surpresa e vir muita gente, pois é Fátima”. Menos optimista está António Santos, comerciante. “Não vai ser isto que vai trazer mais pessoas. Os grupos, que são quem compra e fica nos hotéis, terminam dia 8. Mesmo a árvore é muito grande, é dinheiro a mais quando no ano passado nem sequer houve iluminação porque diziam que não havia dinheiro. O próprio pavilhão da pista de gelo deveria ser maior, se o objectivo era chamar visitantes”.A dúvida é partilhada por vários dos comerciantes que trabalham em redor do Santuário. “Mau nunca é”, referem, mas a iniciativa ainda não é conhecida para ter o efeito que pretende. Outros destacam um projecto que vai trazer “motivação”, apostando-se numa altura do ano muito parada na cidade.“Se for bem publicitado, as pessoas vêm, porque desperta curiosidade”, comenta Teresa Carreira, proprietária de uma loja de artigos religiosos. “Sou de apoiar tudo o que possa trazer turismo a Fátima, não se pode cruzar os braços”.Religião e animação de braço dadoEm comunicado, a Sociedade de Reabilitação Urbana de Fátima (SRU) fez saber que o programa conta com “diversão para pequenos e graúdos, animação, cultura e naturalmente culminando nas cerimónias religiosas do Santuário de N.ª Sr.ªdo Rosário de Fátima, na Basílica, na Capelinha das aparições, ou na recente Igreja da Santíssima Trindade, num acontecimento que envolve os habitantes locais, numa manifestação de acolhimento e hospitalidade que nos caracteriza”. “Vamos assim poder contar com muita iluminação nas ruas, uma Árvore de Natal com 25 metros de altura, exposição permanente de presépios de tamanho natural, uma pista de gelo, a casa do Pai Natal, a tenda das pinturas faciais, um teatrinho com espectáculos, concertos, teatros, contadores de histórias, o comboio de Natal, enfim, toda uma panóplia de elementos de animação, para juntar à diversidade do Comércio Tradicional local”.A iniciativa resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Ourém, a ACISO – Associação Empresarial Ourém-Fátima e a SRUFÁTIMA. “Com a utilização de fundos especificamente destinados a favorecer a dinamização do Comércio Local, conseguidos através de uma candidatura da ACISO, será possível concretizar este investimento, recorrendo a um mínimo de financiamento do orçamento municipal”, lê-se. “Aliás só assim é possível, num momento de conhecidas dificuldades como o que atravessamos, a ousadia desta acção. Ainda por imposição da candidatura esta animação tem de acontecer nas praças urbanas que a cidade possuiu e assim acontecerá”, reforça.“As pessoas não conseguem perceber este investimento”O presidente da Junta de Freguesia de Fátima, Natálio Reis, saúda uma ideia que “claramente terá futuro, até porque Fátima tem um cariz religioso”, mas lamenta o momento em que a iniciativa é lançada. “A maior pergunta das pessoas é: estamos em crise e há dinheiro para isto? As pessoas não conseguem perceber este investimento”. O autarca refere que louva a ideia das exposições de presépios, mas que uma pista de gelo “não se adequa nesta Fátima Cidade Natal”. Comenta ainda que um projecto como este deveria ter a parceria do Santuário de Fátima.
Opiniões dividem-se relativamente ao projecto “Fátima Cidade Natal”

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...