uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Pórticos na A23 a partir de Janeiro, mas portagens só em Abril

Pórticos na A23 a partir de Janeiro, mas portagens só em Abril

Três pórticos vão ser instalados na área da Estradas de Portugal, entre Torres Novas e Abrantes Oeste

A Scutvias espera uma redução significativa de tráfego com a introdução de portagens, à semelhança do que já aconteceu noutras vias que passaram a ser portajadas este ano.

Edição de 07.12.2010 | Sociedade
A instalação de pórticos de portagem na auto-estrada A23 (Torres Novas - Guarda) vai arrancar em Janeiro, mas a cobrança não será antecipada, garantiu Levi Ramalho, director geral da concessionária Scutvias. “O que está consignado é que as portagens têm que começar a ser cobradas a 15 de Abril” e, apesar de “representantes do Estado já terem referido uma eventual antecipação, não há qualquer alteração na data”, garantiu.No entanto, “há vários trabalhos a realizar” pelo que vai arrancar já no princípio de Janeiro” a instalação de 16 pórticos - três na área da Estradas de Portugal, entre Torres Novas e Abrantes Oeste, e outros 13 no restante percurso até à Guarda, concessionado à Scutvias. “Os pórticos são unidades pré-fabricadas e a sua colocação vai perturbar o mínimo possível a utilização da via”, destacou.De acordo com aquele responsável, a Scutvias espera uma redução significativa de tráfego com a introdução de portagens, à semelhança do que já aconteceu noutras vias que passaram a ser portajadas este ano. “Nos primeiros dias há uma abaixamento muito significativo do tráfego, que depois é recuperado”, referiu.O tráfego médio diário na A23 em 2009 foi de 10.545 veículos, subindo este ano, até ao momento, para 10.706. No entanto, segundo Levi Ramalho, os números ainda não recuperaram da queda verificada desde Outubro de 2008 e que diz ser “reflexo da crise”. No caso concreto do tráfego de veículos pesados internacionais, a auto-estrada recebia em média de 1800 camiões por dia, valor que caiu para cerca de 1400 actualmente.Com as portagens, a fuga à auto-estrada pode fazer aumentar a sinistralidade, admitiu o director geral, que apontou a A23 como uma infraestrutura “de extrema importância para o desenvolvimento da região”, que serviu “para fixar população” e desenvolver “os parques industriais, que têm vindo a crescer”.
Pórticos na A23 a partir de Janeiro, mas portagens só em Abril

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...