uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Violência doméstica está a aumentar no concelho de Vila Franca de Xira

Violência doméstica está a aumentar no concelho de Vila Franca de Xira

Plano de Desenvolvimento Social 2011-2013 foi apresentado em encontro de empresas

Durante um encontro dedicado à “Responsabilidade Social das Empresas” a Conselheira Municipal para a Igualdade, também responsável pelo Observatório Local de Vila Franca de Xira, Helena Gonçalves, alertou para o aumento dos casos de violência doméstica no concelho.

Edição de 15.12.2010 | Sociedade
O problema da violência doméstica tem vindo a aumentar no concelho de Vila Franca de Xira. O alerta foi deixado pela Conselheira Municipal para a Igualdade e responsável pelo Observatório Local de Vila Franca de Xira, Helena Gonçalves, durante o encontro “Responsabilidade Social das Empresas”, iniciativa que assinalou o décimo aniversário da Rede Social do concelho de Vila Franca de Xira, na segunda-feira, 13 de Dezembro, no Museu da Central de Cervejas e Bebidas, em Vialonga.Os cinco eixos prioritários de intervenção para o Plano de Desenvolvimento Social (PDS) 2011-2013 foram apresentados durante a sessão e passam pelo apoio à população idosa/dependente, ocupação de tempos livres de crianças e jovens, qualificação e emprego, parcerias e economia social e equipamentos sociais.Em relação à população idosa/dependente o objectivo é melhorar as suas condições de vida. “Temos de conhecer as reais necessidades deste grupo de modo a construir uma base de dados que centralize as suas necessidades”, explicou a conselheira municipal, que pretende também criar um grupo de voluntários para chegar aos idosos que vivem mais isolados, realizando várias acções de sensibilização. Criar uma plataforma de articulação entre as Instituições Particulares de Solidariedade Social, as escolas e as associações que existem no concelho de Vila Franca de Xira, capacitando os técnicos das associações para dinamizar as actividades dirigidas às crianças e jovens é outra das metas propostas para os próximos três anos. “Queremos também contribuir para a diminuição do desemprego no concelho. Vamos realizar o levantamento das necessidades do emprego local para adequar a oferta às necessidades da população”, explicou Helena Gonçalves. Impulsionar as empresas a realizar acções de formação para os colaboradores e apostar na promoção do empreendedorismo são outros objectivos. O PDS prevê a articulação das várias instituições para trabalhar com o tema e a realização de várias acções de sensibilização dentro das empresas, assim como a criação de um guia de recursos interactivo. Em relação ao eixo dos equipamentos sociais o objectivo traçado para estes três anos é simples: proceder a um levantamento exaustivo dos equipamentos existentes, de modo a poder realizar um melhor a nível da construção destes equipamentos.O presidente da Associação para a Intervenção Social e Comunitária, Manuel Martins, reforçou o último eixo, dizendo que é necessário realizar um levantamento exaustivo das instituições sociais que existem não olhando só para o que se vai criar. “Se um equipamento não serve mais deve ser adaptado para outra funcionalidade”, frisou. Em relação à comemoração dos 10 anos da rede social de Vila Franca de Xira, presidente da Câmara, Maria da Luz Rosinha, aproveitou para salientar a sua importância: “A rede social tem vindo a constituir-se como a única resposta para várias pessoas e por isso reveste-se de especial importância não só para o concelho como para o próprio país”. Segundo a autarca, existem agora “novos pobres” que precisam de um acompanhamento social e nem todas as situações de carência social podem ser dadas como adquiridas. “Temos pessoas em situações crónicas de pobreza que nada fazem para sair delas e outras que precisam realmente de uma resposta. Muitas vezes as entidades não actuam em tempo útil. Tivemos crianças em lares de acolhimento que não estavam a ter o devido acompanhamento”, disse Maria da Luz Rosinha. Na rede social estão envolvidas actualmente cerca de 150 instituições, do sector público e privado. A Orquestra de Vialonga encerrou o encontro com um pequeno concerto.Duas empresas com responsabilidade socialO director de relações institucionais da Central de Cervejas e Bebidas S.A. de Vialonga, Nuno Pinto Magalhães, realçou alguns projectos da empresa que demonstram a sua responsabilidade social. Desde o investimento de quatro milhões de euros para melhorar e optimizar a sua Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), passando pelo protocolo anual estabelecido com a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira que permite apoiar cerca de 200 famílias carenciadas e terminando nas acções de sensibilização do consumo de bebidas alcoólicas nas escolas. Estas são apenas algumas das acções levadas a cabo pela Central de Cervejas e Bebidas. Também António Santos, do gabinete de Relações Públicas da CIMPOR, destacou que o desenvolvimento social é sempre levado em conta em que todas as perspectivas de crescimento e expansão da empresa. A fábrica de Alhandra, concelho de Vila Franca de Xira, considerada a “ex-libris” do grupo teve um investimento, desde 2000, de 92 milhões de euros. Cinquenta por cento deste valor foi investido a nível ambiental e social. António Santos destacou ainda o programa que incentiva o voluntariado dos colaboradores. “Se um trabalhador resolve apoiar alguma instituição, a CIMPOR contribui com oito vezes esse valor”.
Violência doméstica está a aumentar no concelho de Vila Franca de Xira

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...