Disponibilidade total para se dedicar ao bem comum

Fernanda Maria Pereira Asseiceira, 49 anos, foi a protagonista de uma das surpresas das eleições autárquicas de Outubro do ano passado. A ex-deputada socialista recuperou a Câmara de Alcanena para o seu partido vencendo os independentes que governavam o município, muitos dos quais antigos militantes do PS, aproveitando o facto de o presidente da câmara Luís Azevedo não se ter recandidatado. Natural da Chamusca, onde nasceu a 8 de Abril de 1961, mas a viver em Alcanena desde os 3 anos de idade é professora de ciências e matemática do 2º ciclo do ensino básico. Solteira e sem filhos diz que essa condição lhe dá uma maior disponibilidade para se dedicar ao bem comum. Mulher determinada não teve receio de afrontar, em 2005, o líder do PS concelhio e distrital do PS, com quem tinha divergências políticas, tendo-o derrotado em eleições partidárias locais, passando, a partir dessa altura a ser vista como candidata natural à câmara. Licenciada em Marketing e com um mestrado em Educação e Sociedade, foi coordenadora do Gabinete de Educação de Adultos do Centro da Área Educativa da Lezíria e Médio Tejo e Delegada Regional do Inatel em Santarém. Exerceu e exerce vários cargos de direcção no Partido Socialista e foi deputada à Assembleia da República, tendo integrado a Comissão de Poder Local Ambiente e Ordenamento do Território, Saúde e Educação e Ciência. Diz que não é vaidosa mas apresenta-se sempre impecavelmente arranjada. Frontal, não gosta de mal-entendidos nem de frases com meias palavras. Lamenta que a situação económica herdada do anterior executivo, com passivo superior a 20 milhões de euros, não lhe permita por em execução o conjunto de planos e ideias que apresentou no seu manifesto eleitoral.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo