O concelho que cresceu com os curtumes

O concelho de Alcanena é formado por dez freguesias e localiza-se na zona de transição entre o Maciço Calcário Estremenho e a Bacia Terciária do Tejo, caracterizada por solos férteis e significativos recursos hídricos. A variedade paisagística do concelho é constituída pela serra (a norte) caracterizada pelas superfícies elevadas e agrestes das Serras de Aire e Candeeiros, e o bairro (a sul), onde se estendem as planícies, as colinas baixas e as encostas. Em Alcanena encaixa-se a Bacia Hidrográfica do Rio Alviela, a mais importante nascente cársica do país. Tem cerca de 14600 habitantes (censos 2001). O Concelho de Alcanena foi criado a 8 de Maio de 1914 e faz fronteira com os municípios de Torres Novas, Santarém, Porto de Mós e Ourém. Está a quatro quilómetros do nó de acesso à Auto-Estrada nº1. É um concelho com múltiplas elevações e numerosos vales, com aproximadamente 12.700 hectares. A maior parte da zona norte do município foi integrada, a 4 de Maio de 1979, no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros. A diversidade paisagística e características de micro-climas, fazem deste concelho o local propício para o lazer, descanso e desportos de aventura. O município é percorrido por uma rede viária com 340 Km. A origem de Alcanena remonta, segundo alguns historiadores, à ocupação árabe da Península Ibérica, da qual terá herdado a toponímia e a fixação e desenvolvimento dos trabalhos de curtimenta de peles. Terra de ideais republicanos, a sua história é, acima de tudo, a história dos curtumes. Indústria que foi decisiva para a sua afirmação como centro populacional a partir do século XVII.* Informações disponibilizadas no site da câmara municipal www.cm-alcanena.pt

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo