Terra de paços e de palácios

A cerca de 50 Km de Lisboa e a 30 Km de Santarém situa-se, na margem sul do Tejo, o concelho de Salvaterra de Magos, com cerca de 20.000 habitantes e uma área de 243,9 Km2. Integram o concelho seis freguesias: Salvaterra de Magos, Foros de Salvaterra, Marinhais, Glória do Ribatejo, Granho e Muge. Integra a sub-região da Lezíria do Tejo.Salvaterra de Magos beneficia de boas acessibilidades, com ligações à A13 e à A10. Para além destas importantes ligações inter-regionais, beneficia ainda de ligações directas aos concelhos vizinhos, como Almeirim, Coruche, Benavente e Cartaxo. O concelho é atravessado pela linha ferroviária de Vendas Novas. A beleza da vila e da Lezíria apresenta-se convidativa ao turismo, com o seu Cais Fluvial, a Praia Doce e a típica aldeia de pescadores avieiros do Escaroupim, para além da Barragem de Magos, que convida à pesca desportiva e aos desportos náuticos.Concelho onde a agricultura predomina, desde a mais remota ocupação pré-histórica o concelho possui inúmeros testemunhos materiais do Homem. Viveu um período áureo da sua história a partir do século XVI, com a construção de um Paço Real, no reinado de D. Manuel I, que muito contribuiu para a fixação da família real durante largas temporadas na terra. Ao longo dos séculos, o Paço sofreu inúmeras alterações. A época áurea do Paço decorre no reinado de D. José I, em meados do século XVIII, em que um vasto plano de remodelação se inicia, incluindo a construção de uma Casa de Ópera. O terramoto de 1755 viria a provocar consideráveis estragos no Paço. O Palácio da Falcoaria foi outro dos factores predominantes na fixação da Família Real em Salvaterra de Magos. * Informações disponibilizadas no site da câmara municipal www.cm-salvaterrademagos.pt

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo