Um concelho entre o Ribatejo, o Oeste e a Grande Lisboa

Município localizado geograficamente como o mais oriental do distrito de Lisboa, dotado de excelentes acessibilidades quer pela auto-estrada – A1, quer pelos caminhos-de-ferro, o concelho de Azambuja é composto por aglomerados habitacionais, lugares e aldeias que constituem as suas 9 freguesias: Vila Nova da Rainha, Azambuja, Aveiras de Baixo, Vale do Paraíso, Aveiras de Cima, Alcoentre, Manique do Intendente, Maçussa e Vila Nova de São Pedro. O município de Azambuja abrange uma área 262,7 Km2, e conta com uma população de cerca de 22 mil habitantes. Pertence ao distrito de Lisboa mas integra a sub-região da Lezíria do Tejo. Situa-se na margem direita do rio e apresenta uma grande diversidade topográfica e paisagística. A sul tem as extensas e férteis lezírias e o rio Tejo como limite. A norte é uma região mais acidentada, mas também com várzeas de forte aptidão agrícola.Entre as actividades tradicionais do concelho destacam-se a pesca na Vala e no Rio Tejo, a criação de toiros e cavalos na lezíria e a agricultura. Mas Azambuja é um concelho cada vez mais industrializado, beneficiando da proximidade que tem à capital do País, que faz deste território um importante pólo logístico. Situada numa zona de charneira entre o Ribatejo, o Oeste e a Área Metropolitana de Lisboa, Azambuja faz fronteira com os concelhos de Cadaval, Alenquer, Vila Franca de Xira, Santarém, Cartaxo e Rio Maior.As origens da vila de Azambuja perdem-se no tempo. De acordo com alguns historiadores do séc. XVIII, a localidade já existia na época romana com o nome de Oleastrum, cujo significado é zambujeiro embora não confirmado por muitos escritores da antiguidade. * Informações disponibilizadas no site da câmara municipal www.cm-azambuja.pt

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo