Um optimista que é presidente há duas décadas

José Sousa Gomes cumpre o último mandato como presidente da Câmara de Almeirim porque ao abrigo da lei de limitação dos mandatos já não pode voltar a concorrer àquele cargo. O socialista está à frente dos destinos da autarquia desde 1990, depois de ter sido também vereador num executivo liderado por Alfredo Calado, que já faleceu. O autarca nasceu em 24 de Outubro de 1940, é casado e tem duas filhas. O presidente estudou nos Pupilos do Exército entre 1952 e 1960 e é formado em Contabilidade e Administração. Antes de ser autarca exerceu a profissão de professor do ensino secundário em Alpiarça e em Santarém, tendo chegado a exercer as funções presidente do conselho directivo da Escola Secundária Dr. Ginestal Machado em Santarém durante três anos a partir de 1986.Nos primeiros mandatos o seu grande objectivo era dotar o concelho de infra-estruturas básicas para uma maior qualidade de vida da população. Empenhou-se na construção de uma biblioteca municipal, das escolas dos segundos e terceiros ciclos de Almeirim e Fazendas de Almeirim e de uma escola secundária na cidade. Mais recentemente foi a recuperação do cine-teatro e no actual mandato está virado para a construção de modernos centros escolares e na requalificação dos espaços públicos. Além da sua actividade de autarca, Sousa Gomes deu sempre grande importância às colectividades locais, tendo exercido funções directivas no União Futebol Clube de Almeirim, Hóquei Clube “Os Tigres” e Associação dos Bombeiros Voluntários de Almeirim. O mandato passado foi provavelmente o mais conturbado, com divergências políticas que culminaram na sua incompatibilização com o então vice-presidente Francisco Maurício e com o presidente da assembleia municipal e colega de partido, Armindo Bento, que formaram um movimento independente. Num ambiente politicamente tenso durante a última campanha eleitoral, Almeirim era um dos concelhos em que havia muitas dúvidas sobre a tendência dos eleitores e chegou-se a ter a ideia de que o PS perderia a maioria absoluta. Mas não só isso não aconteceu como o partido e Sousa Gomes como seu líder saíram reforçados, conquistando inclusivamente a Junta de Freguesia de Benfica do Ribatejo que estava nas mãos da CDU. Com a criação das comunidades urbanas, Sousa Gomes assumiu a liderança da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, que mantém, embora estas tenham passado a comunidades intermunicipais. No seio da comunidade o autarca foi um dos entusiastas e dinamizadores da criação de uma empresa intermunicipal para a gestão do abastecimento de água e do saneamento que inicialmente previsto para os onze municípios da Lezíria. A Águas do Ribatejo acabou por agregar seis municípios. Sousa Gomes considera-se um optimista e já confessou uma vez que tem a noção que quando abandonar o cargo de presidente da autarquia deixará de ter dezenas de amigos. Não é escravo do telemóvel e diz que a melhor maneira de ocupar os tempos livres é não fazer nada, ver televisão e ler jornais. Detesta a ingratidão, principalmente a de quem não tem razão para ser ingrato. Gosta de pensar muito bem antes agir e tenta ouvir opiniões, mesmo que informalmente. Já lhe aconteceu não dormir por causa de problemas no concelho.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo