uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Criança ferida à passagem do tornado já está a recuperar em casa

Criança ferida à passagem do tornado já está a recuperar em casa

Madalena foi a aluna do Jardim-Escola João de Deus, em Tomar, que ficou ferida com mais gravidade

Criança está psicologicamente bem, mas vai demorar até ficar completamente restabelecida.

Edição de 21.12.2010 | Sociedade
O sorriso rasgado de Madalena esconde o susto que passou há cerca de quinze dias. A menina de sete anos foi projectada com violência para a zona das escadas dianteiras do Jardim Escola João de Deus, na Rua de Leiria, em Tomar, durante a passagem de um tornado que arrancou o telhado desta escola e deixou um rasto de quilómetros de devastação. Para além de uma fractura exposta grave na perna direita, ficou com cortes na cabeça, mãos e pulsos que obrigaram à sutura com pontos. Madalena ainda teve vómitos e sono mas os exames descartaram a hipótese de traumatismo craniano. Das 19 crianças que ficaram feridas, num grupo total de 140 alunos, Madalena foi o caso mais grave. Sentada numa cadeira de rodas, na sala de sua casa localizada no centro histórico de Tomar, a aventura é contada pela própria, sobre o olhar atento da mãe, a designer de interiores Leonor Ferreira de Matos. “Já tínhamos almoçado e estávamos na sala sentados porque íamos ter coro. As professoras levantaram-se porque começaram a ver as coisas a voar e eu fui a primeira a levantar-me porque achei que o melhor a fazer era ir atrás de um adulto”, conta. Momentos antes, tinha visto através da grande janela envidraçada, que dá para as traseiras, um fenómeno que descreve com precisão. “Era uma nuvem preta por baixo, um espacinho pequeno e depois uma nuvem gigante por cima. Parecia um sonho”, conta a O MIRANTE. As funcionárias e educadoras ainda tentaram fechar janelas e portadas mas já não conseguiram ir a tempo de trancar tudo. A força do vento projectou-a e fê-la cair nas escadas que se encontram na entrada do jardim-escola, após o que foi atingida na perna por tijolos, telhas e pedras. “Não me tentei levantar porque estava à espera que algum adulto me fosse buscar”, refere. Madalena acabou por ser resgatada por um funcionário da instituição que teve o impulso de olhar para trás uma vez que tinha visto “muitas coisas” a voar. Transportada para o Hospital de Tomar, viria a ser transferida para a Unidade de Abrantes e foi operada no mesmo dia. Teve alta precisamente uma semana após o tornado e, por enquanto, sem poder ir às aulas, passa o tempo livre a brincar e a jogar playstation. Tem duas irmãs, uma mais velha e uma bebé, e as visitas dos amigos da escola também ajudava a passar o tempo. "É uma miúda que dá a volta por cima”Na quarta-feira, 15 de Dezembro, Madalena foi a atracção da festa de Natal que se realizou na outra escola da mesma instituição, para onde os 140 alunos foram deslocados até que terminem as obras de reabilitação do edifício. “Foi muito emocionante. Todos bateram palmas quando ela entrou na sala”, conta a mãe que previu que algo de grave se estaria a passar quando viu, através da janela, duas pessoas com um olhar muito assustado a olhar para o céu. Só quando saiu para a rua, pelas 15h50, é que viu toda a gente muita aflita com os telemóveis na mão. “Quando perguntei se tinha acontecido alguma coisa disseram-me que era no Jardim Escola João de Deus e que tinham caído árvores para cima dos meninos. Disse que não podia ser porque a nossa reacção é sempre negar”, recorda. Pegou no carro e conduziu, em contramão, até à escola da filha. Como o trânsito estava caótico e viu as ambulâncias ao cimo da rua, abandonou a viatura e disseram-lhe que a filha já estava no hospital. “Está a ser seguida pelo Dr. Carlos Hipólito que é excelente. Todos deram o seu melhor e vi que tinha todos de volta dela. Só tenho a dizer bem da protecção civil e de toda a assistência que lhe deram”, disse.Em termos psicológicos, a mãe diz que Madalena parece bem pelo que não precisou do acompanhamento que foi disponibilizado. “Em relação à fractura da perna, actualmente com ferros, os médicos calculam que vai demorar quatro semanas para solidificar os ossos”, conta. Madalena tem agora que seguir uma dieta específica, rica em verduras."É uma miúda que dá a volta por cima. É optimista, comunicativa, muito expressiva e tem verbalizado o que lhe aconteceu. Só ainda noto alguma perturbação no sono”, refere esta mãe que confessa ser precisamente no sorriso da Madalena que encontra o optimismo e força necessários para ultrapassar a situação.
Criança ferida à passagem do tornado já está a recuperar em casa

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...