uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Duas entidades especializadas em segurança no trabalho apontaram falhas aos balneários de Alverca

Duas entidades especializadas em segurança no trabalho apontaram falhas aos balneários de Alverca

Junta de freguesia garante que vai construir novas estruturas de apoio aos colaboradores

Duas entidades especializadas em segurança no trabalho apontaram várias falhas aos balneários usados pelos colaboradores da Junta de Freguesia de Alverca, como O MIRANTE tinha denunciado. Presidente da junta garante que novos balneários vão ser construídos no próximo ano.

Edição de 21.12.2010 | Sociedade
Os trabalhadores da Junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo que operam na área do viveiro e os motoristas vão ter acesso a novos balneários que vão ser construídos no próximo ano. Depois de O MIRANTE ter noticiado o estado degradado em que se encontram os actuais balneários masculinos, o presidente da junta de freguesia, Afonso Costa, solicitou a vistoria de duas empresas que detectaram vários problemas. Na assembleia de freguesia de Alverca do Ribatejo realizada na quinta-feira, 16 de Dezembro, Rui Moreira, da bancada do PS, e Fernando Moreira, da CDU, aproveitaram para questionar o executivo da junta sobre o ponto da situação dos balneários. “Os balneários não têm a dignidade exigida para os trabalhadores nos tempos que correm. Para quando uma solução?”, perguntou Fernando Moreira.Em resposta Afonso Costa explicou que depois da notícia duas empresas externas à junta, a Meditrave – Higiene e Segurança no Trabalho e a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), passaram as instalações sanitárias em revista. Segundo Afonso Costa a ACT recomendou a “colocação dos extintores para que o manípulo fique a uma distância não superior de 1,20 m do pavimento para garantir fácil acesso” e também a colocação de “dispensadores automáticos de secagem de mãos ou de toalhas individuais”. Por sua vez a Medritave aconselhou a mudança de pavimento e a colocação de recipientes com pedal. “Apesar das condições não serem as melhores os balneários reúnem as condições mínimas de higiene e segurança para continuar a funcionar”, garantiu o presidente, que aproveitou para anunciar a construção de novos balneários no próximo ano. As novas instalações vão dar apenas resposta a todos os funcionários que operam na área do viveiro e aos motoristas.Recorde-se que o dirigente do STAL (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local), João Vieira, criticou em declarações a O MIRANTE o estado de degradação dos balneários masculinos e chegou a dizer que os estábulos dos animais da quinta pedagógica da freguesia vizinha da Póvoa de Santa Iria tinham melhores condições.“As paredes dos balneários, que têm perto de quatro metros de altura, estão cheias de humidade. Dos seis chuveiros existentes, apenas dois estão a funcionar e apesar de terem divisões não têm cortinas, deixando os trabalhadores sem qualquer privacidade. Há dias em que chove dentro dos balneários dos homens”, enumerou. Maria do Céu Coelho, funcionária da Junta de Freguesia de Alverca, reconheceu que os balneários das mulheres apresentavam “um mínimo de condições” quando comparados com os masculinos. “Quanto aos armários a situação é idêntica porque se deixarmos lá a roupa que trazemos de casa, ao fim do dia, a roupa cheira ainda pior que a farda que trazemos de um dia de trabalho. Tenho de deixar a minha roupa pendurada num cabide”, revela. Afonso Costa disse que os cacifos existiam em número suficiente para permitir aos funcionários fazer a separação da roupa suja e roupa limpa. “Por diversas vezes teve esta autarquia de intervir na limpeza interior deste espaço cuja utilização é da responsabilidade exclusiva dos funcionários, no sentido de daí retirar lixo que os próprios aí vão acumulando”.
Duas entidades especializadas em segurança no trabalho apontaram falhas aos balneários de Alverca

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...