uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
João Moura quer voltar a ser candidato a deputado mas gostava que fosse segredo

João Moura quer voltar a ser candidato a deputado mas gostava que fosse segredo

Líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal de Ourém dá agora o dito por não dito depois de declarações do presidente da concelhia

Depois de um comunicado da comissão política de Ourém do PSD a refutar a existência de divergências internas, o presidente do partido no concelho vem dizer que seu grande objectivo “é voltar a unir o partido”.

Edição de 28.12.2010 | Política
O líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal de Ourém só esta semana admitiu que se posicionou para ser candidato a deputado numa reunião da concelhia. João Moura primeiro desmentiu publicamente a notícia de O MIRANTE de 9 de Dezembro que dava conta desse facto. Num comunicado a comissão política local manifestou igualmente o seu repúdio pela nossa notícia. Só agora, confrontado pelo nosso jornal, com as declarações do presidente da concelhia, João Moura admite que contava que a sua posição política se mantivesse em segredo. A posição de João Moura é conhecida após a comissão política do PSD de Ourém, da qual faz parte, ter emitido um comunicado a dizer que ainda não se pronunciou sobre nomes de candidatos autárquicos nem sobre candidatos a deputados. E realçando que “não se entende a intenção da notícia” de O MIRANTE de 9 de Dezembro. Fica assim claro que João Moura quis assumir uma posição de força na concelhia e que tanto ele como a comissão política tentaram esconder esse facto. Natálio Reis afirmou a O MIRANTE que o eleito na assembleia municipal tinha dito numa reunião com os elementos da concelhia que queria estar nas listas de candidatos a deputado e que a leitura que os militantes sociais-democratas fizeram dessa declaração foi de que “não estaria disponível para ser candidato nas eleições autárquicas”. Confrontado com estas afirmações, João Moura começou por dizer que “neste momento não é o tempo para se falar disso”. Para depois ser mais explícito ao reconhecer que não queria que se soubesse. Esta situação era “para manter em segredo”, confirma.Não se compreende porque é que João Moura diz que “é muito precoce estar a falar em nomes de candidatos”, quando foi ele mesmo que levantou a questão na reunião do partido. E ao dizer que estava disponível para ser candidato acabou por directa ou indirectamente contribuir para condicionar a escolha que a concelhia terá que fazer quando tiver que apresentar os candidatos. E isto tudo apesar de afirmar que “neste momento está empenhado no cargo que ocupa de líder da bancada do PSD na assembleia municipal” e que “está disponível para ajudar o partido”.Afinal o partido não está assim tão unidoA concelhia de Ourém do PSD também veio refutar a ideia de que havia divergências internas, conforme noticiava O MIRANTE. E sabe-se agora também que estas podem não ser tão acentuadas como no período imediatamente após as últimas eleições autárquicas, quando o PSD perdeu a câmara para o PS, mas que elas existem, isso existem. Basta atentar no que disse Natálio Reis a O MIRANTE, à margem da conferência de imprensa promovida pela concelhia no dia 21: “Falta um ano (para o final do mandato da actual concelhia do PSD). O meu grande objectivo e desta comissão política é voltar a unir o partido. Nós temos oposição a fazer e sabemos fazê-la. Mesmo com as desinteligências pessoais que se conhecem. Mesmo assim eu tenho esperanças que consigamos unir o partido”. Natálio diz mesmo que “o partido ao longo dos anos tem tido desinteligências internas enormes e sempre sobreviveu. Alguma coisa não correu tão bem no dia 11 de Outubro, fruto de diversas situações, mas eu acredito que voltaremos a ser uma força política coesa, unida e forte. Se não acreditasse nisso então é que estaria de saída, não era amanhã era hoje”. Depois de um comunicado da estrutura local do partido vir “repudiar” a notícia de O MIRANTE com o título “PSD de Ourém precisa de um milagre para se regenerar” e dizer que o texto era baseado em “meras suposições”, as declarações agora feitas pelos dois políticos demonstram no mínimo que há alguma desorientação na concelhia. ComentárioA política no seu melhorO MIRANTE noticiou recentemente que o PSD de Ourém precisava de um milagre para se regenerar. A notícia foi elaborada com testemunhos de pessoas ligadas ao PSD que ou presenciaram a última reunião da concelhia ou partilham a militância naquela concelhia.Contámos factos e ficámos à espera da reacção dos políticos envolvidos. As reacções não foram muitas mas foram surpreendentes. O principal visado na notícia, João Moura, usou a sua página no Facebook para escrever que as nossas notícias eram falsas. A comissão política concelhia enviou para a redacção um comunicado a desmentir tudo o que escrevemos e a afirmar que o PSD de Ourém nunca esteve tão unido.Quando chegou a hora de voltarmos a escrever sobre o assunto, agárramos no telefone e fomos à conversa com os protagonistas. Ficamos então a saber que os laranjinhas de Ourém desmentem notícias e fazem comunicados a desmentir notícias como se vivêssemos no reino da Dinamarca.Ahhh!! a gente não queria que as informações das nossas reuniões viessem publicadas no jornais, por isso desmentimos tudo, dizem os actores do PSD que andam a treinar para um dia serem políticos de verdade, e homens de palavra, de forma a que, antes de escreverem barbaridades, pensem na responsabilidade de terem o diploma do exame da antiga quarta classe. JAE
João Moura quer voltar a ser candidato a deputado mas gostava que fosse segredo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...