uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Unidade de Cuidados Continuados do Entroncamento inaugurada com lotação esgotada

Unidade de Cuidados Continuados do Entroncamento inaugurada com lotação esgotada

Equipamento localiza-se em terrenos onde antigamente funcionou uma antiga unidade fabril

“O concelho do Entroncamento pode considerar-se privilegiado no que à saúde diz respeito”, considerou Jaime Ramos, presidente da autarquia, no dia da cerimónia.

Edição de 28.12.2010 | Sociedade
Inaugurada na manhã de quarta-feira, 22 de Dezembro, pela ministra da Saúde, Ana Jorge, a Unidade de Cuidados Continuados (UCC) da Santa Casa da Misericórdia do Entroncamento já tem as 70 camas lotadas, estando a acolher utentes de várias zonas do país designadamente da Grande Lisboa. A nova UCC - baptizada com o nome do provedor da Santa Casa da Misericórdia do Entroncamento, Manuel Fanha Vieira - apresenta-se como um edifício moderno e localiza-se na Quinta do Bonito, na freguesia de Nossa Senhora de Fátima, em terrenos onde antigamente funcionou uma antiga unidade fabril. “Trata-se de uma obra com muita qualidade que vai dignificar este concelho”, considerou Manuel Fanha Vieira que agradeceu a todas as entidades que viabilizaram a concretização do projecto, anunciando que as várias valências da instituição agregam, no actual momento, 318 colaboradores divididos por dois lares e um hospital com 55 camas que faz um atendimento de urgência de 24 horas.A nova valência da Misericórdia representa um investimento de cerca de 4,4 milhões de euros e contou com uma comparticipação de 750 mil euros do Programa Modelar, destinado a financiar o alargamento da rede de cuidados continuados. O terreno foi cedido pela Câmara Municipal do Entroncamento, que prestou igualmente apoio técnico. O edifício é constituído por quatro pisos. Para além de uma área administrativa conta ainda com um espaço para refeições, convívio e actividades, ginásio, áreas de quartos de higiene pessoal, área médica e de enfermagem, capela e casa mortuária. O presidente da Câmara do Entroncamento, Jaime Ramos, disse que “o concelho do Entroncamento pode considerar-se privilegiado no que à saúde diz respeito”. Para o autarca, graças à SCME, a população tem vindo a ganhar acesso aos mais diversos serviços de saúde, condição que qualquer concelho gostaria de ter para os seus cidadãos. Esta foi uma das 22 Unidades de Cuidados Continuados que abriram neste dia em todo o país mas para a Ministra da Saúde a instituição do Entroncamento tem o mérito de “fazer o pleno” uma vez que para além das 40 camas de média duração e reabilitação e 30 de longa duração e manutenção, dispõe ainda de 15 camas destinadas a convalescença. Todos os quartos têm acesso a varanda, facto realçado por Ana Jorge para quem o contacto com o ar livre, a pessoas com locomoção limitada, é deveras importante para a sua recuperação. A ministra disse às dezenas de convidados presentes na inauguração que ficou particularmente agradada com o espaço destinado a ajudar os doentes, dependentes, a recuperarem autonomia na realização de tarefas da sua vida diária. “Este apoio visa a sua recuperação e a possibilidade de regressarem a casa que é o que todos desejam: viver mais tempo possível no seu próprio espaço”, disse, considerando que este tipo de instituições devem ser encarados como “um meio de transição” entre os hospitais e as casas dos utentes. Rede Nacional de Cuidados Continuados com 15 mil camas até 2015A ministra da Saúde frisou no Entroncamento que o objectivo continua a ser o de dotar a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados de 15 mil camas até 2015, apesar das dificuldades de alguns parceiros em encontrarem financiamento junto da banca. “Temos feito um trabalho com os parceiros na procura da realização de mais projectos para atingir esse número até 2015, mas obviamente alguns parceiros têm algumas dificuldades em concretizar porque precisam do apoio financeiro da banca e isso nem sempre tem sido facilitado, pelas dificuldades que existem”, afirmou. Ana Jorge frisou o facto de a rede, ansiada há mais de uma década, ser hoje uma realidade com cinco mil camas disponibilizadas gradualmente ao longo dos últimos quatro anos. A Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, impulsionada pelos Ministérios da Saúde e do Trabalho e Solidariedade Social, tem vindo a ser concretizada através de parcerias com as Misericórdias e as instituições particulares de solidariedade social.
Unidade de Cuidados Continuados do Entroncamento inaugurada com lotação esgotada

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...