uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
A primeira Festa dos Tabuleiros de Passos Coelho

A primeira Festa dos Tabuleiros de Passos Coelho

Edição de 13.07.2011 | Sociedade
Milhares de pessoas encheram domingo a cidade de Tomar que se engalanou para assistir ao mais importante dos cortejos da Festa dos Tabuleiros, que o primeiro-ministro considerou “muito especial”. Pedro Passos Coelho, ao lado da mulher, assistiu, na Praça da República, ao desfile e bênção dos 704 tabuleiros que percorreram cerca de cinco quilómetros de ruas enfeitadas com milhares de flores de papel e ornamentadas com colchas nas varandas e janelas. “É uma festa muito especial, primeiro porque só ocorre de quatro em quatro anos, segundo porque, como podem ver - e eu também já pude constatar - é uma festa que mobiliza pessoas de todos os pontos do país”, disse Pedro Passos Coelho, que se fez acompanhar pelo ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares e presidente da Assembleia Municipal de Tomar, Miguel Relvas.O primeiro-ministro, que pela primeira vez assistiu ao maior dos cortejos da Festa dos Tabuleiros, tendo sido recebido com palmas por muitos populares, acrescentou: “Uma festa realmente impressionante”.Nas ruas, repletas de gente que atirava papelinhos de múltiplas cores à passagem dos tabuleiros, houve quem chegasse bem cedo para garantir lugar. Foi o caso de Jaime Rodrigues, oriundo de Santa Maria da Feira, que às 10h40 já tinha tomado lugar próximo da Mata Nacional dos Sete Montes, de onde as centenas de tabuleiros sairiam mais de cinco horas depois. “Isto é a coisa mais bonita que se faz de quatro em quatro anos. Se não valesse a pena não estaria aqui a fazer o sacrifício que estou a fazer”, comentou.Com uma vista diferente e privilegiada, estava António Guilherme. Nascido em Tomar e a viver em Lisboa, tinha à disposição a varanda da casa da família. Sem nunca ter falhado o grande cortejo, António Guilherme destacou a originalidade crescente do certame - “sem nunca perder a tradição -, visível na “ornamentação das ruas”.Já Cláudia Silva, de Alcobaça, apontou “a forma como toda a comunidade e os habitantes estão envolvidos”. No cortejo, onde estão representadas as 16 freguesias do concelho, as mulheres, que transportam um tabuleiro com cerca de 15 quilos, desfilam vestidas de branco e com uma fita de cor à cintura ou a tiracolo, a mesma cor da gravata que os respectivos acompanhantes envergam.Culto ao Espírito SantoA Festa dos Tabuleiros ou Festa do Divino Espírito Santo, retomada no século passado, tem origem pagã relacionada com a época das colheitas e adquiriu carácter religioso na Idade Média, pela Rainha Santa Isabel, que lançou as bases da Congregação do Espírito Santo. A festa termina na segunda-feira com o cortejo do bodo, onde são distribuídos pão, vinho e carne pelos mais necessitados do concelho.Tabuleiro pesa 15 quilosCada tabuleiro, decorado com flores de papel, tem a altura da mulher que o leva à cabeça, sendo constituído por 30 pães e tendo no alto uma coroa com a pomba do Espírito Santo ou a Cruz de Cristo.
A primeira Festa dos Tabuleiros de Passos Coelho

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...