uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Água do Cartaxo ao preço do ouro

Edição de 20.07.2011 | O Mirante dos Leitores
A população do Cartaxo tem que reagir e revoltar-se para não continuar a ser roubada impunemente pela empresa Cartágua que gere o sistema de água e que, escandalosa e impunemente, subtrai o dinheiro que quer aos consumidores de água, escudada na apatia da câmara municipal que nada faz para pôr fim ao escândalo, face aos benefícios que também tira do processo. Pegando numa factura emitida pela referida empresa verifico várias irregularidades. A tarifa de disponibilidade, nada mais é do que o aluguer do contador, cuja taxa foi extinta por lei mas que continua a ser cobrada de forma camuflada. Sobre os valores que me foram cobrados na rubrica “saneamento variável”, pedi esclarecimentos no escritório da empresa, tendo sido informado que os mesmos variam conforme os metros cúbicos de água que se mandam para a rede de esgotos, que correspondem aos consumidos. Se é assim, eu pergunto: a água que dou de beber aos animais e a água que gasto a regar o jardim e a horta também vão para o esgoto? Além disso, pela comparação de facturas, fica demonstrado que a matemática não é o forte dos gestores da empresa, porquanto, em 12 m3 de consumo aplicaram-me uma taxa de 3,92€ e em 28 m3, uma taxa de € 16,6674. Qual foi o critério utilizado e que fórmula foi aplicada? Eu falo por mim e as centenas de pessoas que diariamente se juntam à porta dos escritórios da empresa a protestarem, falarão por elas. Feitas as contas, cada metro cúbico de água custa € 1,50 (ao preço da gasolina). Apelo às entidades responsáveis (Inspecção Geral de Finanças, Polícia Judiciária, Ministério da Economia, etc.) para procederem a uma inspecção rigorosa, no sentido de apurarem responsabilidades no processo de privatização, constituição da sociedade da empresa e definição dos valores a cobrar. Os cartaxeiros estão cansados de serem explorados e prepara-se um levantamento popular que pode ter consequências imprevisíveis.Francisco S. Rocha

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...