uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Clubes de futebol de Vila Franca e Benavente cortam nos gastos com as contratações

Aposta dos clubes passa pelas camadas jovens e pela manutenção dos jogadores da época passada

Nos concelhos de Vila Franca de Xira e Benavente os principais clubes estão a cortar nos gastos com as novas contratações para as suas equipas seniores e a aposta é nos escalões de formação. Fazer mais com menos é o lema para a temporada que se avizinha.

Edição de 27.07.2011 | Desporto
Os clubes de futebol dos concelhos de Benavente e Vila Franca de Xira estão a encarar com cautela a crise financeira que se avizinha e por isso já começaram a cortar nos gastos de constituição dos plantéis seniores para a nova época. As contratações são poucas e a aposta forte é nos escalões de formação, em detrimento de grandes estrelas de clubes vizinhos. “Com a crise que se instalou os clubes de futebol têm de ser rigorosos e o FC Alverca tem conseguido manter uma gestão equilibrada. Actualmente temos de ter muita capacidade de argumentação para poder convencer os jogadores a alinharem pela nossa equipa e receberem um pouco menos do que aquilo que, de certeza, mereciam”, lamenta Fernando Orge, presidente do FC Alverca a O MIRANTE.A equipa ainda não está fechada para a próxima época mas esperam-se cinco reforços, sobretudo jovens que pulam das camadas jovens. “Houve jogadores bons que tivemos de largar porque temos de ser realistas. O nosso objectivo é a manutenção na divisão de honra e mantivemos quase todo o plantel do ano passado”, refere o presidente do clube. Em média um jogador do plantel sénior aufere 150 euros por mês. “A nossa aposta tem de continuar a ser nos jovens que, mesmo sendo jovens, conseguem ainda mostrar futebol de boa qualidade”, garante o dirigente.Em Vila Franca de Xira o presidente do União Desportiva Vilafranquense, Joaquim Pedrosa, garante que este ano o plantel sénior será todo composto pela “prata da casa” devido à contenção financeira. “Vamos apostar na formação e nos escalões mais novos. O UDV nunca foi um clube que vivesse acima das suas possibilidades, fomos sempre equilibrados e a aposta é sempre a formação”, refere ao nosso jornal. Também aqui o plantel para a próxima época não está fechado. “Penso que saem dois jogadores e que regressam outros dois. O que os responsáveis do futebol me dizem é que o plantel está praticamente definido para o próximo ano e que sobem alguns juniores”, refere. No UDV cada jogador também ganha em média 100 euros. “Temos de ser muito contidos nos custos e especialmente este ano”, refere o dirigente. O clube, recorde-se, sofrerá obras até ao final de 2011 no seu campo de futebol que se destinam a requalificar as instalações, que já são antigas. Arrelvamento sintético do actual campo pelado, construção de novos balneários e instalações de apoio médico, administrativo e social são os principais destaques da obra, integrada na requalificação da frente ribeirinha da cidade. Do outro lado do rio Tejo o Grupo Desportivo de Benavente também não escapa à crise e garante que todas as decisões têm de ser tomadas com pés e cabeça. “Temos a nossa equipa pronta para arrancar a 16 de Agosto e este ano estamos com um orçamento 30% mais baixo que o ano anterior”, revela Joaquim Ganhão ao nosso jornal. A equipa base é quase toda ela composta por jogadores da casa e sobem dois juniores. “Fomos buscar três a quatro jogadores que já nos conheciam. Temos de fazer uma gestão muito criteriosa porque senão não conseguimos chegar a todas as áreas e sabemos que os tempos estão difíceis. Tem de haver muita contenção nos gastos”, refere. O pontapé de saída das competições da Federação Portuguesa de Futebol está marcado para o dia 4 de Setembro.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...