uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Moradores e comerciantes contestam preço de estacionamento no centro de Vila Franca

Edição de 27.07.2011 | Sociedade
Estacionar o carro no parque da Avenida Pedro Victor em Vila Franca de Xira, próximo da esquadra da Polícia de Segurança Pública, custa desde o dia 11 de Julho 65 cêntimos por hora e o tempo máximo de estacionamento por automóvel é de duas horas. A instalação de parquímetros na zona destina-se a regular o estacionamento nos 34 lugares disponíveis e impedir que os lugares estejam ocupados os dias todos pelas mesmas viaturas, quando outros precisam de estacionar. Mas quem vive e trabalha na zona critica a colocação do equipamento, alegando que o serviço é “demasiado caro” e que faltam alternativas gratuitas para os moradores.O estacionamento no local é pago entre as 8h00 e as 20h00 nos dias úteis e das 8h00 às 13h00 aos sábados. “É um pouco caro. Eu sei que a cidade tem muitos problemas de estacionamento mas acho que o preço poderia ser mais baixo, ainda para mais num local que fica próximo dos correios e do centro, onde muita gente tem de ir”, refere Rodrigo Mendes, morador. Diamantino Rosa, que também reside na zona, questiona se os moradores não poderiam beneficiar de isenção de pagamento. “É que uma coisa é as pessoas que vêm de fora, outra é os moradores. Acho que não custava nada terem reservado uns seis ou sete lugares para os moradores e deixarem os restantes pagos. Ou então darem vinhetas que permitam ter estacionamento gratuito, é assim em todas as cidades”, defende.A câmara municipal explica que, de momento, a isenção de pagamento para os moradores não se encontra prevista. O município adianta que existem parques gratuitos nas proximidades mas os moradores contrapõem. “Um dos que está mais perto é o da Quinta da Mina que tem tido muitos problemas com os arrumadores. E não é perto, fica a cerca de 500 metros daqui”, afiança Dias Pedro, residente. “Andam sempre a defender a ocupação das zonas históricas das cidades mas estou a ver que tenho de ir para a periferia para poder estacionar sem pagar perto de casa” diz outro morador, Marco Sousa. Outros residentes lamentam que os espaços gratuitos “se contem pelos dedos de uma mão” e que a maioria dos lugares da zona esteja reservada à PSP. Para os comerciantes o parquímetro agora instalado pode ser uma mais-valia para estimular o negócio mas o preço é visto como exagerado. “65 cêntimos é muito caro. Ninguém vem parar aqui o carro para tomar um café e ir embora. Acho que é muito dinheiro para uma hora de parque. Além disso só poderem estacionar durante duas horas parece-me pouco”, critica Rui Cunha a O MIRANTE. Outros comerciantes lembram que o país está em crise e que devem ser poucos os que vão parar no local a pagar para irem beber um café ou fazer compras. O facto de os parquímetros terem dois horários afixados, o horário de serviço do equipamento (entre as 6h00 e as 24h00) e o horário efectivo de pagamento, tem gerado alguma confusão entre os utilizadores, como O MIRANTE constatou no local. Algumas pessoas pensam que o horário de serviço é aquele em que se paga para estacionar. A câmara municipal garante que os horários são iguais em todos os outros parquímetros existentes na cidade.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...