uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Ministério do Ambiente chumba traçado da linha de alta tensão Carregado-Rio Maior

Edição de 24.08.2011 | Sociedade
O traçado da linha de alta tensão Carregado - Rio Maior teve um parecer negativo por afectar a área protegida da Serra do Montejunto e a paisagem vinhateira do concelho de Alenquer, revelou fonte do Ministério do Ambiente.A Declaração de Impacto Ambiental (DIA) emitida a 29 de Julho e a que a agência Lusa teve acesso foi “desfavorável” ao projecto, após decisão do Ministério do Ambiente baseada no parecer da comissão de avaliação e no relatório da consulta pública, na qual participaram 11 entidades.Antes da DIA, o Governo tinha decidido suspender o prazo para a sua emissão para audiência prévia do proponente, a Rede Eléctrica Nacional (REN). A DIA conclui que existem impactos negativos sobre “povoações mais próximas e vias atravessadas” por cabos e sobre a Paisagem Protegida da Serra do Montejunto, cuja avifauna pode ficar afectada dados os “riscos de colisão” sobretudo com aves de rapina. “Existem impactos negativos nomeadamente durante a época da nidificação e pós-nidificação, em particular nas populações mais vulneráveis”, refere o documento.Apesar de não pôr em causa a produtividade das vinhas de Alenquer, o Ministério do Ambiente reconhece que “existe uma afectação paisagística de uma área agrícola relevante, representativa da tradição vitivinícola e que constitui um território que tem vindo a ganhar expressão enquanto paisagem vinhateira”.Durante a consulta pública, a Agência Portuguesa do Ambiente recebeu pareceres de 11 entidades, de acordo com o respectivo relatório: as câmaras de Alenquer e Vila Franca de Xira, a Assembleia Municipal de Alenquer, a associação ambientalista Alambi e as juntas de freguesia de Olhalvo, Santana da Carnota, Pereiro de Palhacaca, Carregado, Cadafais e Aldeia Gavinha, todas do concelho de Alenquer.Entre os argumentos desfavoráveis ao projecto está o facto de a nova linha de alta tensão atravessar, por via aérea, nove freguesias do concelho de Alenquer numa extensão de 30 quilómetros de uma ligação total de 56 quilómetros, refere o relatório, além de outros motivos contra agora corroborados pela DIA.A futura linha de alta tensão, que ligará as subestações do Carregado (Alenquer) e de Rio Maior, vem “reforçar o abastecimento de energia à região da Grande Lisboa, devido à pressão urbana” existente, justifica a Rede Eléctrica Nacional no estudo de impacto ambiental.A nova linha cruza os concelhos de Alenquer, Arruda dos Vinhos, Caldas da Rainha, Vila Franca de Xira, Azambuja e Rio Maior, ficando a maior área atravessada no concelho de Alenquer.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...