uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

João de Carvalho deixa pelouro da cultura e PS fica à mercê da oposição

Vereador sai em solidariedade com colegas Rui Rei e Helena Jesus que foram humilhados com a retirada de pelouros pela presidente da Câmara de Vila Franca

João de Carvalho abdica da cultura depois de Rui Rei e Helena Pereira de Jesus terem perdido os pelouros. Acaba assim o acordo entre a maioria socialista na Câmara de Vila Franca de Xira e a Coligação para a governação da autarquia. O PS fica a partir de agora à mercê da oposição.

Edição de 06.12.2011 | Política
O vereador da Coligação Novo Rumo na Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, João de Carvalho, vai abandonar esta semana o pelouro da cultura. A decisão foi tomada depois da presidente de câmara, Maria da Luz Rosinha (PS), ter retirado os pelouros aos outros dois vereadores da coligação no executivo. Acaba assim o acordo entre a maioria socialista e a coligação à direita estabelecido depois das últimas eleições autárquicas.Esta mudança significa que o PS vai ficar à mercê da oposição. Os socialistas têm apenas cinco eleitos na câmara enquanto que os dois partidos da oposição têm seis vereadores no total (três da CDU e três da Coligação Novo Rumo).Na última reunião de câmara, realizada na quarta-feira, no Forte da Casa, o verniz estalou entre os socialistas e a Coligação. O pretexto foi a discussão sobre uma urbanização na Póvoa de Santa Iria. Os pelouros só foram retirados a dois dos vereadores: Rui Rei e Helena Pereira de Jesus.Ao manter João de Carvalho os socialistas conseguiam garantir seis elementos no executivo, o que já seria suficiente para garantir a aprovação de documentos em reunião de câmara. O PS justifica, em comunicado, que a decisão de retirada dos pelouros foi tomada devido a “diversas exigências colocadas pelo presidente da Comissão Política Concelhia do PSD, em nome da Coligação Novo Rumo”. Sublinha que a decisão “não tem a ver com divergências políticas, mas sim com questões de procedimento”. Na nota de imprensa, divulgada na noite de quarta-feira, lia-se ainda que João de Carvalho manteria os pelouros face à sua declaração de voto, proposta que o vereador não aceitou. João de Carvalho foi o único dos três a ser poupado. É certo que foi o que menos se pronunciou sobre o assunto limitando-se de forma muito breve a dizer que havia “falta de diálogo” mas curiosamente votou contra o assunto em análise, tal como os colegas de bancada. A URBANIZAÇÃO DA DISCÓRDIA O ambiente entre os socialistas e a Coligação Novo Rumo já estava minado mas a discussão à volta do licenciamento de uma urbanização de sete lotes com dez pisos a construir na freguesia da Póvoa de Santa Iria, um processo que se arrasta há 18 anos na Câmara municipal de Vila Franca de Xira, foi a gota de água. No final da reunião, em frente a todos os presentes, a presidente retirou os pelouros a Rui Rei e Helena Pereira de Jesus.A declaração de voto lida pela vereadora Helena Pereira de Jesus, que propunha várias alterações ao projecto, caiu mal no executivo e fez exaltar os ânimos do vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita, a quem a presidente teve por várias vezes que pedir calma.A maioria PS defende que o construtor tem direitos adquiridos que a câmara não pode ignorar sob pena de ter que pagar indemnização uma vez que exigiu várias alterações à tipologia de construção. A CDU concorda com esta posição. A Coligação colocou em causa a permuta de terrenos realizada entre o promotor e a câmara e até mesmo a isenção de taxas. “Todos observamos por todo o concelho as dificuldades que actualmente os promotores vivem para vender o que já está construído em matéria de habitação, o que nos leva a perguntar se acreditamos que estes lotes de habitação serão construídos num breve futuro”, interrogaram-se.A presidente de câmara, bem como o vice-presidente, consideraram que os contributos da Coligação poderiam ter chegado mais cedo a tempo de corrigir ainda o projecto até porque o assunto já foi discutido anteriormente. Rui Rei disse que já se tinha manifestado contra o projecto numa reunião anterior.O anúncio de Maria da Luz Rosinha apanhou todos os presentes de surpresa e no final da reunião nenhum vereador quis fazer comentários sobre o sucedido. PSD acusa PS de Vila Franca de utilizar abusivamente meios da câmaraO PSD acusa a maioria socialista da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira de ter usado abusivamente os meios da autarquia para justificar a retirada de pelouros aos vereadores do PSD, Rui Rei e Helena Pereira de Jesus. A informação foi divulgada por e-mail pela assessoria de imprensa na noite de quarta-feira, 30 de Novembro. Mais tarde a comissão política concelhia do PS, liderada pelo vereador Fernando Paulo, emitiu um outro comunicado que se baseia nas mesmas ideias transmitidas pela nota de imprensa.O PSD diz ainda em comunicado que “em nenhum momento o presidente da Comissão Política Concelhia do PSD colocou exigências em nome da Coligação Novo Rumo”, ao contrário do que é dito na informação da câmara.“A posição dos três vereadores do PSD (João de Carvalho, Helena de Jesus e Rui Rei), na reunião do dia 30 de Novembro, foi concertada com a Comissão Política Concelhia do PSD e exclusivamente fundamentada na defesa dos interesses da população do concelho que não nos permitem entrar em processos por clarificar”, esclarecem, referindo-se ao ponto que originou a discórdia.Novidade é o facto da comissão política se referir aos três eleitos como vereadores do PSD, já que até aqui eram identificados como vereadores da Coligação Novo Rumo, que incluía inicialmente o CDS-PP, bem como o MPT e PPM. Entretanto como O MIRANTE noticiou o CDS-PP já veio demarcar-se publicamente da actuação dos três eleitos e afastou-se da coligação.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...