uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Municípios cortam na iluminação de Natal e poupam milhares de euros

Em Vila Franca este é o primeiro ano em que as ruas da cidade não vão estar engalanadas

Muitas câmaras da região vão dispensar este ano as iluminações de Natal poupando assim milhares de euros. Em Azambuja só há um presépio que não tem custos para a autarquia e em Benavente este é o segundo ano em que se poupam 30 mil euros nas iluminações.

Edição de 06.12.2011 | Sociedade
Grande parte dos municípios da área de abrangência de O MIRANTE decidiu cortar as despesas de iluminação de Natal poupando assim milhares de euros. Em 2010 a crise gerada pela diminuição de receitas e transferências do Orçamento de Estado já levou as autarquias a reduzir estes gastos mas em 2011 o corte é ainda mais radical.Vila Franca de Xira, que tanto em 2009 como em 2010 gastou 19 mil euros nas luzes de Natal, reduziu este ano a despesa a zero mantendo no entanto o apoio às famílias carenciadas com a entrega de cabazes com alimentos. O mesmo fez Azambuja que decidiu manter apenas o tradicional presépio na praça do município que não envolve qualquer custo para o município. Nos cofres do município vão permanecer os 12 100 euros habitualmente gastos nesta despesa. Tal como no ano passado Benavente também não vai gastar um cêntimo com iluminações de Natal. Em 2009 o município transferiu os últimos 30 mil euros para as quatro juntas de freguesia iluminarem as ruas. A Câmara Municipal de Santarém optou por não fazer este ano qualquer adjudicação para instalação de iluminações de Natal. Os poucos elementos decorativos que serão colocados no espaço público são propriedade do município. Já no ano passado houve um corte de 50 por cento nessas despesas.Em Almeirim as luzes já não brilharam no ano passado e este ano a poupança mantém-se. Em 2009 a câmara gastou cerca de 20 mil euros com esta despesa. O Entroncamento não vai ter igualmente iluminações de Natal, revertendo parte da verba para aumentar, de 250 para 300, os cabazes de Natal que a autarquia oferece às famílias mais carenciadas do concelho. O município decidiu cortar uma despesa que em 2010 representou um gasto da ordem dos 25 a 30 mil euros.Em Coruche não haverá aquisição de serviços para iluminação de Natal, tal como em 2010, o que permite à autarquia, que vai colocar apenas um fio de luz no varandim da câmara, poupar na ordem dos 15 mil euros.A Câmara de Tomar vai reduzir substancialmente as despesas com iluminação de Natal este ano e é das poucas que não apaga as luzes a 100 por cento. Se em 2010 a autarquia nabantina gastou 40 mil euros com iluminações e ornamentações de Natal este ano vai disponibilizar apenas 10 mil euros. A autarquia vai ainda dinamizar um programa de animação de Natal, em parceria com a Associação de Comerciantes local, escolas e outras associações do concelho. O jantar de natal para os funcionários camarários, tal como no ano passado, não se realiza mas mantém-se a distribuição de lembranças aos filhos dos colaboradores, uma tradição que apesar dos tempos de austeridade se mantém também em outros concelhos, como Vila Franca de Xira ou Entroncamento.Petição lançou ideia de “Natal sem Luzes” Em 2010 uma petição ‘online’, dirigida aos presidentes da Assembleia da República, da Associação Nacional de Municípios e das câmaras de Lisboa e Porto, com mais de 1.300 assinaturas, tentou “acender uma ideia” apontando a necessidade de poupar dinheiro num “Natal sem luzes”.Embora o pedido não tenha recebido a resposta esperada, este ano as duas autarquias cederam pelo menos ao objectivo de uma poupança significativa - em Lisboa os gastos são de 150 mil euros, menos 700 mil do que no ano passado, enquanto no Porto o investimento será cortado em “40 a 50 por cento”, segundo informação dos municípios à Agência Lusa.Comerciantes vão ajudar a pagar iluminação no CartaxoNo Cartaxo a câmara vai disponibilizar-se para pagar o consumo de electricidade da iluminação de Natal nas ruas mas os comerciantes vão ter que ajudar a financiar a decoração da época com uma despesa que poderá rondar os 25 euros por estabelecimento comercial, dependendo do número de comerciantes que aderir, explicou a O MIRANTE o presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, Paulo Varanda.Os gastos que a autarquia terá com esta despesa não estão calculados mas serão muito inferiores aos 10 mil euros gastos no ano passado. Há três anos a câmara investiu 25 mil euros na iluminação das ruas da cidade.Fátima Cidade Natal financiada pelo Turismo de PortugalA edição deste ano do projecto “Fátima Cidade Natal”, que visa iluminar e dinamizar Fátima, concelho de Ourém, durante a época natalícia, vai ser comparticipado em 80 em cento pelo programa “Mais Turismo Mais Centro”, do Turismo de Portugal. Um investimento de 60 mil euros, mais 10 mil que em 2010. Segundo o vereador do pelouro de Fátima, Nazareno do Carmo, “para Fátima, o Natal não é um luxo, tratando-se antes de um investimento, gerador de mais-valia e de protagonismo do concelho de Ourém”. Em comunicado, o município de Ourém refere que Fátima é uma cidade especial, centro de atenções nacionais e internacionais. “É a montra por excelência do concelho de Ourém e de Portugal. Assim, este ano, o programa de «Fátima Cidade Natal» será completado com diversas actividades: iluminação, comboio de Natal, II concurso de presépios, o grande presépio do concelho, árvore de Natal, pista de gelo, casa do Pai Natal e casa das pinturas faciais”. O evento decorre de 8 de Dezembro a 6 de Janeiro.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...