uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Natal é em casa com a família num ambiente de amor e paz

As melhores recordações de Natal. As prendas que marcaram infâncias. A fecundidade de ter família e amigos por perto. O espírito solidário e generoso que nos envolve. O significado religioso da quadra. Ao longo de vários inquéritos, as respostas ao questionário que preparámos repetiram-se muitas vezes. O Natal é seguramente a época do ano em que os portugueses estão mais unidos. Unidos pelas tradições e pelos sentimentos de fraternidade e generosidade. Nem quando questionámos os entrevistados sobre as prendas que eles dariam aos políticos o espírito natalício desapareceu embora algumas respostas trouxessem alguma malícia à mistura. Na noite da Consoada, antes da Missa do Galo. Há muita gente feliz nas vilas, aldeias e cidades da nossa região. Bom Natal para todos e obrigado pela paciência e generosidade que tiveram em partilhar coisas tão importantes connosco.

Edição de 14.12.2011 | Especial de Natal
Lara David - Optometrista - Vitriu - Multiópticas do EntroncamentoA essência de qualquer Natal é a família O Natal é passado com a família porque a família é a essência do Natal. A seguir ao jantar é tradição assistir à Missa do Galo. Quando era criança recebeu várias prendas, mas a que melhores recordações lhe deixou foi uma guitarra. O Ministro da Economia não merece prendas mas se tivesse que lhe dar uma era um cabaz com produtos genuinamente nacionais para que ajude as empresas a criarem mais postos de trabalho. Aos amigos dão-se prendas que os façam recordar-se de nós.Maria João Oliveira Fael Correia - Médica Veterinária - Centro Veterinário Encosta dos Maias - TomarO gatinho que passou a noite atrás da máquina de lavarA melhor prenda que recebeu em criança foi um gatinho que, de tão assustado, passou a noite atrás da máquina de lavar. A melhor prenda para dar a um amigo é também um gato, ou cão. Tem alguns à procura de quem os trate bem. Se os amigos, por qualquer motivo, não puderem ou não quiserem ter animais, levam um cachecol feito pela ofertante. Não consegue imaginar que prenda poderia dar a um político. O mais certo era não dar mesmo nada.As recordações de Natais passados são todas maravilhosas. Para além do gatinho, as bonecas que recebia e, mais tarde, a alegria dos primeiros natais das filhas. A noite de Natal é sempre em família. Uma família grande que não pára de crescer. Pais, irmãos, sobrinhos e as namoradas dos sobrinhos. Cristo está presente bem como as comidas tradicionais da época. Gonçalo Tainha - Administrativo da Scalabislimpa, Lda - TremezQue saudades dos natais em casa dos meus avós!Onde vai passar o natal?Vou passar o Natal em casa com a minha esposa, pais, sogros e cunhados. É uma noite de reunião da família e de troca simbólica de presentes, para além de se celebrar o nascimento de Jesus. Uma festa de solidariedade universal, uma vez que é celebrada por todo o mundo mesmo onde a comunidade católica está claramente em minoria. Nesta altura todos nos devíamos sentir mais sensibilizados para os problemas que nos rodeiam e devíamos cultivar sentimentos que muitas vezes deixamos esquecidos durante muito tempo como o amor pelo próximo e a solidariedade.Tem alguma recordação especial da noite de natal?Felizmente tenho muitas, principalmente das muitas noites de Natal que passei em casa dos meus avós nos Casais da Charneca, com todos os meus tios e primos reunidos com muita alegria junto de uma fogueira. Muito mais que os presentes, o que contava era a oportunidade de reunir a família e poder desfrutar dos cozinhados fantásticos que a minha avó Ermelinda Zibaia nos preparava. Que saudades tenho desses tempos.Lembra-se de alguma prenda em especial que tenha recebido enquanto criança? Recordo-me de todas as prendas que recebi até hoje. Vou destacar o presente que os meus pais me deram quando fiz 13 anos, que foi o meu primeiro micro-computador, o mítico Sinclair ZX Spectrum, que acabou por me despertar a paixão que tenho hoje por computadores.Se tivesse que dar uma prenda a um político dava o quê e a quem?Dava uma calculadora ao nosso primeiro-ministro para ver se, pelo menos por uma vez acerta nas contas.E a um amigo seu? A um amigo meu, o único presente que posso dar, não só no Natal, mas em qualquer altura do ano, será acima de tudo a minha amizade e solidariedade. Mas amigos há muito poucos porque os amigos de ocasião não contam e os conhecidos são só conhecidos. Maria Helena Agostinho Cunha - Gerente da Inforeco - Torres NovasEu vi o Pai Natal à beira da minha chaminéLevantou-se durante a noite e viu o Pai Natal a colocar as prendas junto à chaminé lá de casa. A recordação é inesquecível mas o cepticismo de pessoa adulta leva-a a dizer que tudo não passou de uma fantasia de criança. Se pudesse escolher uma prenda queria ter toda a família reunida na noite da consoada. Aos amigos dá-se carinho e atenção. Um abraço, por exemplo. A melhor prenda que recebeu não lhe foi dada pelo Pai Natal mas pelo seu próprio pai. Uma bicicleta quando tinha seis ou sete anos. Lamenta que o espírito natalício que torna as pessoas tão gentis nesta altura do ano, não perdure por todo o ano. Virgílio Ferreira - Gerente da empresa Valor Fiel - SantarémAs prendas imaginadas transformavam-se em chocolates e rebuçadosSe o primeiro-ministro fizesse desaparecer todos os que estão em cargos políticos sem nada fazerem era capaz de lhe oferecer uma varinha mágica, mas duvida muito que Pedro Passos Coelho fizesse bom uso da prenda e por isso não lhe vai dar nada. Aos amigos da Função Pública gostaria de lhes anunciar, qual anjo natalício, que para o ano iriam receber o subsídio de férias e o 13º mês e que as notícias que diziam o contrário eram falsas. Quando era criança imaginava que recebia prendas fantásticas, embora a realidade lhe apresentasse na maior parte das vezes coisas mais simples, como chocolates ou rebuçados. Passa o Natal em casa com a família porque se trata de um momento único de harmonia que não se deve desperdiçar.Ginestal Ferreira - Proprietário do stand Taxocar - CartaxoNa minha infância quem dava as prendas era o Menino Jesus Não se falava do Pai Natal mas sim do menino Jesus, quando se falava de prendas de Natal. Mas a melhor prenda que recebi quem ma deu foi mesmo o meu pai. Um camião de brincar. Se o Natal é a festa da família eu sou um homem feliz porque reúno a família muitas vezes ao longo do ano. E dia 24 à hora da ceia lá estaremos todos mais uma vez reunidos em paz e harmonia. Jerónimo Francisco Gualdino - Prestador de serviços agrícolas e operário fabril - S. José da LamarosaBoas-festas, pratiquem desporto e sejam felizesO Natal está cada vez mais comercial e menos religioso. Já não se celebra o nascimento de Cristo como antigamente. Até o menino Jesus foi substituído pelo Pai Natal. A minha consoada é em casa com a família mais próxima. Para mim o mais importante é estarmos de bem com nós próprios e com os outros. As melhores prendas de Natal da minha infância foram uma bola de futebol e uns sapatos de atletismo. A melhor prenda que poderia dar a alguns amigos era conseguir pô-los a praticar desporto. Para os políticos a melhor prenda seria um manual que lhes ensinasse a resolver os problemas do país. Joaquim Saramago - reformado, Santarém - Presidente da Adega Cooperativa de AlcanhõesPara os amigos os melhores vinhos de AlcanhõesA melhor prenda para dar a um amigo é uma caixa de três garrafas de vinho da Adega Cooperativa de Alcanhões. Uma de Cardeal Dom Guilherme, outra de Terra do Paço e outra de Adiafa. Para os políticos não tenho prendas mas, para não causar muita polémica, dava uma garrafa de vinho abafado Adiafa, que é doce, à vereadora com o pelouro das Finanças da câmara de Santarém.Uma vez no Natal deram-me uma bola pequena. É a recordação mais viva que tenho em termos de prendas. Quanto ao ritual da noite da consoada é praticamente o mesmo. Jantar em família e a seguir fazer os fritos. O final é que tem algumas diferenças. Agora, à meia-noite, vamos para o pé da árvore abrir as prendas. Quando eu era miúdo a recordação que tenho é sentado ao lume com os meus pais e depois dos fritos feitos, comer um coscorão e beber café feito na cafeteira.Carlota Figueiredo - Gerente Hotel Rural Quinta da Torre - AlpiarçaNa casa da minha avó paterna juntavam-se mais de cem primos e tiosAproveito o Natal para fazer uma reflexão interior. Como católica vou à Missa do Galo com o meu marido e os meus filhos para agradecer o ano que passou. É pena que, para a maioria das pessoas, o Natal seja uma festa mais material que espiritual. A consoada é passada com a família do meu marido e o dia de Natal com a minha família. As Festas de Natal da minha infância eram diferentes. Íamos para Lisboa para casa da minha avó paterna na véspera de Natal onde se juntavam mais de 100 primos e tios. No dia a seguir em Santarém, na casa da minha avó materna, havia presentes a perder de vista.Prendas aos amigos dão-se em qualquer altura e comigo é assim. Não preciso do Natal para o fazer. Para os políticos não dou nada porque eles nos recomendaram contenção. Enfim, se o Governo aceitasse um convite e viesse todo passar o Ano ao Hotel Rural Quinta da Torre fazia-lhe um desconto na estadia. A maior decepção que tive num Natal foi com uma prenda. Andei uma semana a olhar para o embrulho a tentar imaginar o que me iriam oferecer e saiu-me um caixote do lixo com cara de mocho, para o quarto. Catarina Fernandes - Centro de atendimento ao cliente IScar - Castanheira do RibatejoAos amigos dá-se tudo o que o dinheiro não compraFaço anos no dia de Natal. A festa é dupla e especial porque há sempre família e amigos. Não me recordo de uma prenda especial que tenha recebido enquanto criança mas lembro-me bem de como a minha curiosidade mórbida me estragou um Natal. Uns dias antes fui espreitar o que me iam oferecer. Depois senti uma desilusão muito grande por não ter tido aquela excitação que antecede as surpresas. As melhores prendas são aquelas que o dinheiro não compra. Essas são aquelas que devemos dar aos amigos. Para alguns políticos era bom podermos oferecer bilhetes de avião só de ida para locais bem distantes. António Correia - Gerente Maquivolt - CarregadoBacalhau cozido com couves e peru assadoOnde vai passar o natal? Normalmente o meu Natal é passado ora na minha casa ora em casa de familiares próximos. Este ano será em casa dos meus sogros, com toda a família. Esposa, filhos, sogros, cunhados e sobrinhos. O Jantar irá ser o tradicional bacalhau cozido com batatas e couves e posteriormente existirá um prato que normalmente é peru assado no forno. Tem alguma recordação especial da noite de natal? Recordo com muita saudade os meus tempos de criança em que a minha mãe, no início da noite, começava a cozinhar os tradicionais fritos e me colocava sentado num banco perto da chaminé a ver.Natal é quando um homem quiser, como diz o poema? Deveria ser mas lamentavelmente não é. No contexto actual fico na esperança que o Natal deixe de ser a época consumista que tem sido até aqui e que volte a ser simplesmente encarado como uma quadra em que as pessoas deveriam fazer uma introspecção interna e concluírem que o despesismo de alguns choca com as dificuldades de outros que passam por muitas dificuldades. Por outro lado, sendo o Natal uma época em que muitas pessoas se tornam mais tolerantes, lamento que esse clima não dure sempre. Houve alguma prenda que o tenha marcado quando era criança? Recordo-me de ter recebido um camião em plástico que me deixou muito feliz porque o meu pai naquela altura era motorista de pesados e eu assim podia imitá-lo.Se tivesse que dar uma prenda a um político dava o quê e a quem? Oferecia-lhe a possibilidade de viver com o salário mínimo nacional durante pelo menos um ano, pagando todos os impostos que os restantes portugueses pagam! E a um amigo seu? Um livro que lhe ensinasse a melhor maneira de poder sobreviver num país de irresponsáveis! Cínia Pereira - Directora Técnica Casa de Repouso Sonhos Meus - Marinhais Quem precisa, precisa sempre mas quem ajuda não ajuda sempreO meu Natal será passado em casa com os familiares mais próximos. Será uma noite de conversa em redor da mesa da consoada. Evitaremos o tema da crise. Depois vamos ver as crianças abrir as prendas. Na Venezuela, onde nasci, o Natal também era assim. Depois da ceia íamos à Missa do Galo, colocávamos o sapatinho na chaminé esperando que no dia de Natal o Pai Natal deixasse um presente. A melhor prenda que recebi enquanto criança foi a casa da Barbie quando tinha 7 anos. O Natal é sempre especial mas é pena que o espírito solidário não dure mais tempo porque como o ditado diz: “quem precisa, precisa sempre, mas quem ajuda não ajuda sempre”.O presente ideal para dar a um amigo seria uma viagem ao Dubai com tudo pago. Ao governo também dava uma viagem. Uma ida para o Havai num avião que só tivesse combustível para 3 horas. Pedro Mena Esteves - Gerente da Go Imobiliária ldª - SantarémTer confiança no futuroVou passar o Natal em casa com a minha família. É uma noite diferente, porque nos juntamos todos e partilhamos a alegria das crianças ao abrir os presentes. O meu melhor Natal foi o de 2001, por causa do nascimento da minha filha. A prenda que mais me marcou foi um carro de pedais. A um amigo a melhor prenda que se pode dar é um abraço de lealdade e confiança para o futuro. Aos políticos como Pedro Passos Coelho e Miguel Relvas dava um livro vermelho com o título “As freguesias rurais são a proximidade das populações.Deborah Barbosa - Directora Financeira Sociedade Panificadora Costa e Ferreira - Rio MaiorNem Natais nem prendas especiaisO Natal é uma época especial, sem dúvida, mas não me recordo de nenhuma prenda em especial nem de nenhum Natal mais especial que todos os outros. O principal é a felicidade de estarmos em família, à volta da consoada com muita saúde e felicidade que é o que eu mais desejo para os meus amigos. Se houvesse alguma prenda que pudesse dar aos políticos era bom-senso, principalmente a políticos do género do Alberto João Jardim. Carlos Manuel de Sousa Guarda - Proprietário da Decapagem e Metalização Triunfo - BenaventeNão nos podemos esquecer do significado religioso do NatalO meu Natal será passado em Benavente, na minha residência, rodeado pela família. A noite de Natal é como sempre o encontro entre famílias onde o convívio e a amizade estão presentes. Todas as recordações que tenho do Natal são boas. Os fritos, as prendas na chaminé, a ansiedade causada pela chegada do Menino Jesus. O Natal é um dia especial por tudo o que ele envolve mas principalmente pelo significado religioso que contem. A prenda que mais recordo foi uma bicicleta que os meus pais me deram quando eu tinha 12 anos. Foi um sonho de criança que se tornou realidade e isso é indescritível. António Duarte - Comerciante Duartes e Reis há 52 anos - SantarémA melhor prenda do mundo é a amizadeEntre os meus 7 e 8 anos recebi um cavalo de madeira, dos que balançam, guardei-o durante anos, foi com tristeza que o vi destruir-se. Essa foi seguramente a prenda da Natal que mais me mercou. Quanto aos natais em si são todos especiais porque é uma época de confraternização familiar e do reavivar de amizades. O Natal pode ser sempre que um homem quiser mas isso é só para homens com H (agá) grande. A melhor prenda do mundo é a amizade. Pedro Xavier Martins - Arquitecto - Rio MaiorDesejo aos meus amigos ânimo para continuarem a produzirPasso o Natal em Lisboa, com a família. Aproveito para descansar e apreciar a companhia dos que me são mais queridos. Dos meus natais de criança lembro-me da ansiedade pela manhã, altura em que se abriam as prendas. As melhores que recebi eram Legos. O Natal é sempre uma altura especial. As pessoas ficam mais abertas aos bons sentimentos. O homem devia querer que fosse sempre Natal, tendo a mesma atitude ao longo do ano, seria tudo mais simples. Desejo aos meus amigo ânimo para continuarem a produzir e a fazer Portugal crescer. Ao Primeiro-Ministro desejo coragem para responsabilizar todos os ladrões que nos andaram a governar ou a gerir em elevados cargos. É uma questão de justiça porque se fosse um pobre a roubar um pão para comer, não escapava da prisão.Tiago Zola - Empresário Factor-Ar - AlmeirimUma árvore de Natal decorada com notas de vinte escudosLembro-me especialmente de um Natal em que o meu avô decorou toda a árvore de Natal com notas de 20$00. Para mim foi uma prenda fantástica, pensei que era uma fortuna. Na realidade eram só mil escudos (o equivalente hoje a 5 euros). Mas já lá vão mais de 30 anos…Se eu tivesse muito dinheiro, a prenda que dava a um amigo era uma volta ao Mundo com tudo pago. E eu ia também. Aos políticos dei este ano metade do meu subsídio de Natal. Não foi bem dar...foi um donativo forçado. O meu Natal é passado em casa com a minha esposa, os meus filhotes, os meus pais, sogros e cunhado, ou seja os familiares mais presentes no meu dia a dia. Temos oportunidade de confraternizar, geralmente à mesa, com as pessoas que mais amamos e por acréscimo vem uma troca de presentes.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...