uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Casas de banho do pavilhão sem limpeza quase um mês

Câmara de Benavente e Associação Recreativa do Porto Alto empurram responsabilidades
Edição de 14.12.2011 | Sociedade
As casas-de-banho do Pavilhão Gimnodesportivo do Porto Alto, Samora Correia, concelho de Benavente, estiveram por limpar durante quase um mês. Embora a das mulheres já tenha sido limpa nos últimos dias, a dos homens estava na segunda-feira, dia 12, sem ver detergente. Isto desde a 4ª maratona de BTT Terras do Toiro que decorreu no dia 20 de Novembro. O vice-presidente da autarquia, Carlos Coutinho, assegura que a limpeza cabe à Associação Recreativa do Porto Alto (AREPA) como contrapartida pela exploração do bar do pavilhão. Opinião divergente têm os dirigentes da AREPA que entendem que deve ser a autarquia a assumir a limpeza já que o pavilhão e os próprios sanitários são usados por outras colectividades e associações do concelho. “O bar está entregue à AREPA e por isso esta colectividade é que ficou com a responsabilidade de limpar as casas de banho que estão mesmo ao lado do bar”, assegura o vice-presidente que tem o pelouro dos equipamentos desportivos, Carlos Coutinho (CDU). Os dirigentes e associados da AREPA aproveitaram a última assembleia-geral que decorreu na sexta-feira, 9 de Dezembro, para criticar duramente o estado em que se encontram os sanitários. “Imaginem a imagem com que ficam os clubes e o público que nos visita nos dias dos jogos? O cheiro sente-se logo à entrada do pavilhão. É um péssimo cartão-de-visita para o nosso concelho”, afirmou um associado. O MIRANTE esteve no pavilhão no domingo, 11 de Dezembro, e confirmou o estado lastimoso em que se encontravam as casas de banho. Elementos que integram a secção de andebol da AREPA acrescentaram ainda na última assembleia que a limpeza piorou drasticamente desde que a autarquia acabou com o pagamento de horas extraordinárias aos funcionários. O presidente da colectividade, António Lameiras, prontificou-se a resolver o mais rapidamente possível o assunto com a autarquia.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...