uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Escolha de ginasta Gonçalo Roque para receber prémio da Junta de Samora provoca polémica

Escolha de ginasta Gonçalo Roque para receber prémio da Junta de Samora provoca polémica

Elemento do júri recusou participar dizendo que regulamento não foi respeitado deliberadamente ou por ignorância

A atribuição do Prémio Carlos Augusto Gaspar 2011 ao jovem ginasta Gonçalo Roque está a gerar alguma polémica em Samora Correia, concelho de Benavente. Um elemento do júri, Júlio Carvalho Pereira, renunciou ao cargo por discordar da escolha do vencedor. O presidente da junta diz que isto aconteceu porque o seu nome não foi escolhido.

Edição de 21.12.2011 | Sociedade
O eleito da Assembleia de Freguesia de Samora Correia, Júlio Carvalho Pereira, renunciou ao júri do Prémio Carlos Augusto Gaspar 2011, instituído pela junta de freguesia, por considerar que a escolha do vencedor para esta edição desvirtua a essência e espírito do prémio e acusa o júri de não ter sido imparcial. No centro da polémica está o jovem ginasta Gonçalo Roque que conquistou este ano juntamente com o seu par Sofia Roldão uma medalha de ouro no Campeonato da Europa da Ginástica Acrobática.No regulamento lê-se que o prémio visa distinguir anualmente “entidades individuais ou colectivas, nacionais ou estrangeiras, que de algum modo, tenham prestado de forma relevante, serviços ou acções meritórios nas áreas cultural, social, desportiva ou de benemerência a favor da comunidade de Samora Correia e dos seus residentes”. Júlio Carvalho Pereira ressalva todo o valor e orgulho que sente pelo jovem da terra, considerando que Gonçalo Roque até deve ser distinguido com algum prémio ou condecoração por parte da junta, mas não aceita que ganhe o Prémio Carlos Augusto Gaspar. “O júri não interpretou o regulamento por ignorância, o que é mau, ou deliberadamente, o que ainda é pior. Para além de visar um cidadão que tenha desenvolvido ao longo da sua vida um trabalho em prol de Samora Correia, o prémio é atribuído pelo trabalho realizado em 2010 e não em 2011. Esta atribuição está desvirtuada e não é difícil ver a imparcialidade por parte do júri, o que é lamentável”, referiu Júlio Carvalho Pereira na última assembleia de freguesia realizada na sexta-feira, 16 de Dezembro. O ex-membro do júri destacou ainda que Gonçalo Roque é apenas metade de um par e não faz sentido distingui-lo só a ele, quando ganhou a medalha de ouro em conjunto com o seu par Sofia Roldão, que não é do concelho. O presidente da junta veio em defesa do júri dizendo que este “acredita que o Gonçalo Roque foi o samorense que mais se destacou este ano, embora tenham surgido muitas dúvidas se o espírito do prémio é este ou não”. “Tirando o preâmbulo do regulamento mais nenhum ponto faz referência à questão de se tratar de um cidadão distinguido pela sua vida e obra”, justificou Hélio Justino. O presidente acrescenta que em seis anos de prémio, nunca teve uma reunião tão desgastante. O prémio já teve uma categoria “revelação” que visava premiar os mais jovens, mas que entretanto acabou por desaparecer. Júlio Carvalho Pereira, que já foi comandante dos bombeiros de Samora Correia e dirigente associativo, não chegou a participar sequer na primeira reunião do júri depois de saber que o seu nome era um dos propostos para o vencedor desta edição. Só quando recebeu a informação que tinha sido deliberado por unanimidade apresentar o ginasta como candidato ao prémio é que decidiu renunciar ao lugar de membro do júri. Hélio Justino deixou escapar em assembleia que o jurado poderá ter ficado sentido por não ter sido o escolhido, gerando toda esta polémica. Os nomes dos candidatos surgem através das colectividades, associações e instituições de Samora Correia ou por grupos de cidadãos com um mínimo de 15 subscritores. Depois da renúncia de Júlio Carvalho Pereira, o júri foi formado pelo presidente da junta, Hélio Justino, e por três elementos eleitos pela Assembleia de Freguesia: António Estêvão Pessoa, João Fernando Bento e Otelinda Carreira. Embora a situação tenha gerado uma acérrima discussão na última assembleia de freguesia, todos manifestaram que a pessoa menos culpada de toda a situação é o próprio Gonçalo Roque.
Escolha de ginasta Gonçalo Roque para receber prémio da Junta de Samora provoca polémica

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...