uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
A solidariedade não se resume a uma acção num dado momento

A solidariedade não se resume a uma acção num dado momento

O MIRANTE entregou cabaz de Natal a família de Foros de Salvaterra

O presidente da Associação de Shorinji Kempo de Foros de Salvaterra, Jorge Monteiro, que liderou todo o processo de apoio à família, nomeadamente a construção de uma casa continua a acompanhá-la.

Edição de 28.12.2011 | Sociedade
O MIRANTE visitou a família de Foros de Salvaterra, concelho de Salvaterra de Magos, que viveu o drama do afastamento compulsivo das três crianças entre Junho de 2008 e 26 de Março de 2010, para lhe entregar um cabaz de Natal com algumas lembranças, em nome dos leitores e anunciantes do jornal. A iniciativa, concretizada quarta-feira à tarde, destinou-se a recordar a solidariedade que ao longo de todo o processo, foi demonstrada pela sociedade civil, no apoio a uma família que muitas pessoas consideravam ter sido vítima de uma decisão errada e injusta mas que se prolongou no tempo.Durante a visita, o director executivo de O MIRANTE, Joaquim António Emídio, teve a companhia do deputado Vasco Cunha (PSD) e do ex-deputado Nuno Antão (PS) que, em conjunto com o então deputado António Campos (PSD), visitaram a mãe das crianças em Outubro de 2009 para lhe manifestarem a sua solidariedade, tendo feito chegar um pedido de reavaliação do caso à Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Salvaterra de Magos.O presidente da Associação de Shorinji Kempo de Foros de Salvaterra, Jorge Monteiro, que liderou todo o processo de apoio à família, nomeadamente a construção da casa onde a mesma vive, e que continua a acompanhar o assunto de perto, também acedeu ao convite para estar presente. Em declarações a O MIRANTE disse que a solidariedade não se esgota num determinado momento e que a evolução das crianças, tem sido muito boa. As crianças frequentam as aulas de Shorinji Kempo e as mais velhas, Tatiana e Filipe, têm bom aproveitamento escolar. Trabalhadora agrícola, Marília Batista, tem trabalho apenas sazonalmente e vive com algumas dificuldades mas diz que com os filhos a seu lado e o apoio dos elementos da Associação e de outros elementos da comunidade, é capaz de ultrapassar todas as dificuldades. “Tenho excelentes filhos. Dão-se todos muito bem. O senhor Jorge Monteiro tem-nos apoiado muito e estamos bem todos juntos. O acompanhamento do nosso caso pela Segurança Social já foi considerado terminado. A última visita foi no Verão”, disse depois de agradecer a visita e o cabaz de Natal.Recorde-se que as crianças foram retiradas à família (na altura o pai das mesmas ainda vivia com elas e com a mãe) já de noite, no meio de algum aparato com elementos da GNR com cães. A surpresa entre a comunidade foi grande pois embora se tratasse de uma família pobre não havia notícia de maus tratos infligidos aos menores. Ao contrário do que costuma acontecer em situações do género a população colocou-se ao lado da família. Elementos da Associação Shorinji Kempo e outros amigos construíram uma casa de raiz para albergar os jovens quando os mesmos deixassem de estar à guarda do Estado, o que aconteceu em Março de 2010. Também chegou a realizar-se uma vigília à porta da Segurança Social em Salvaterra de Magos chamando a atenção para o que era considerada uma decisão incorrecta. Há um ano O MIRANTE criou uma conta solidária na Caixa de Crédito Agrícola de Salvaterra de Magos, tendo aquela instituição contribuído também para o montante depositado. A conta em nome de Marília Batista tem o nº 402 408 16219 e o NIB 004 552 704 024 081 621 1907.
A solidariedade não se resume a uma acção num dado momento

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...