uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Morreu queimado no dia de Natal na barraca onde se abrigava

Morreu queimado no dia de Natal na barraca onde se abrigava

João Macedo, conhecido como João “Preto”, completava 50 anos no dia em que morreu carbonizado numa barraca criada numa barreira da zona alta de Pernes.

Edição de 28.12.2011 | Sociedade
João Macedo, ou João “Preto” como era mais conhecido em Pernes, concelho de Santarém, faleceu na fria madrugada de 25 de Dezembro, dia de Natal, no dia em que fazia 50 anos, dentro da barraca que lhe servia de abrigo para passar a noite. Uma familiar viu o fumo a alastrar e avisou os bombeiros cerca das 11h00, que já se depararam com o homem morto, com o corpo carbonizado.O barracão, montado à base de chapas de zinco sobre um tronco de árvore e tubos de ferro não teria mais de dois metros e meio de largura, encostado a pedras que sustentam o topo da encosta na parte alta da vila de Pernes, atrás da casa da prima da vítima. No terreno íngreme no fim da travessa dos Estrelinhos, sobre a estrada do rio Centeio, João Macedo vivia junto a outros cercados com animais de criação numa escarpa de acesso difícil. No local restam as chapas retorcidas, um colchão de que apenas sobraram as molas, palha queimada e garrafas.Os Bombeiros Voluntários de Pernes deslocaram uma ambulância para o local e o delegado de saúde pública confirmou o óbito, tendo o corpo sido encaminhado para a morgue do Hospital de Santarém, enquanto elementos da Polícia Judiciária recolheram indícios para tentarem apurar as circunstâncias da morte. Com a noite de Natal bastante fria, admite-se que o homem tenha feito alguma fogueira para se aquecer ou se tenha esquecido de um cigarro aceso. João Macedo era conhecido por ter problemas de alcoolismo. Diz quem o conheceu que andava frequentemente embriagado mas sem ser violento. Emília Jorge, moradora da travessa, soube por terceiros da morte do vizinho. “Era um bom rapaz. Sei que vivia na barraca depois de ter saído da casa de uma familiar e que ia buscar o almoço à Fundação Comendador José Gonçalves Pereira”, contou à reportagem de O MIRANTE. Mário Gomes, presidente do Grupo de Dadores de Sangue de Pernes, lamenta a morte daquela que era uma das figuras conhecidas da freguesia. “Há pouco tempo tinha-lhe tirado uma fotografia para o quarto concurso de fotografia «Mostra-nos Pernes e as suas Gentes»”, recorda. João Macedo nasceu em Angola e vivia em Pernes desde 1975. Estava desempregado.
Morreu queimado no dia de Natal na barraca onde se abrigava

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...