uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Há mais de dez anos que AREPA desespera por um novo campo de futebol

Presidente da Câmara não avança com qualquer data para a construção do campo

O terreno que está ao lado do actual campo de futebol das Fontainhas no Porto Alto, concelho de Benavente, já está na posse da Câmara Municipal de Benavente e será onde deverá nascer o novo sintético da Associação Recreativa do Porto Alto (AREPA). Mas numa altura de crise, os cerca de 200 jogadores da colectividade vão continuar a treinar no único campo disponível.

Edição de 07.03.2012 | Desporto
A Associação Recreativa do Porto Alto (AREPA), Samora Correia, concelho de Benavente, espera por um novo campo de futebol há mais de dez anos. O sintético das Fontainhas é o único campo onde treinam cerca de 200 jogadores quase em cima uns dos outros. O presidente da Câmara de Benavente, António José Ganhão, garante que o projecto, nesta altura de crise, não está nos planos da autarquia.O presidente da AREPA, José Lameiras, sempre sentiu abertura por parte da autarquia para resolver o problema, mas a verdade é que essa vontade nunca passou do papel. O terreno já existe e é mesmo ao lado do actual campo de futebol. De momento a secção de futebol da AREPA conta com 200 jogadores para um único campo. Todos os dias chegam a treinar três escalões diferentes no mesmo período. “É impossível treinar com qualidade nestas condições. Os jogadores andam em cima uns dos outros e cada grupo tem apenas uma pequena parte do campo”, explica José Lameiras. O dirigente vai ao ponto de dizer que nestas condições os atletas não treinam, mas “brincam”. O pequeno espaço de treino para tantos jogadores também condiciona a segurança. Os treinadores socorrem-se de várias balizas que estão distribuídas no único campo e já aconteceram acidentes por causa desta situação. “Os miúdos penduram-se nas balizas e já tivemos um acidente, mas felizmente ninguém se magoou gravemente. Tivemos de arranjar aqui uma maneira de manter as balizas fixas”, explica José Lameiras. A espera pelo novo campo também se agravou com as negociações morosas com o proprietário do terreno. Foram precisos perto de seis anos até a autarquia conseguir adquirir este terreno no ano passado. Mas entretanto surgiu a crise. José Lameiras espera, no entanto, que a autarquia dê uma ajuda no alisamento do terreno para poderem utilizar o espaço. “Enquanto não surgir o dinheiro para construir um campo de futebol, esperamos pelo menos que tratem do espaço com as máquinas para ficarmos com um campo de terra batida que dá pelo menos para remediar”, confessa. O presidente da Câmara Municipal de Benavente, António José Ganhão, garante que a autarquia tem vontade de criar o mais rapidamente um campo de futebol para a AREPA, mas neste momento não sabe quando é que poderá lançar a primeira pedra. “Enquanto não existir uma retoma da economia no nosso país é completamente impensável investir dinheiro num novo campo de futebol”, explica o autarca. E nem mesmo uma pequena intervenção no terreno já adquirido está nos planos do presidente. “Está a chegar a Primavera e a prioridade é canalizar todas as nossas máquinas e pessoal para a limpeza de bermas e caminhos”, acrescenta.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...