uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Benavente perde oportunidades de promover a gastronomia local através de um prato típico

Benavente perde oportunidades de promover a gastronomia local através de um prato típico

Câmara diz que a promoção do cozido de carnes bravas morreu porque restaurantes retiraram-no das ementas

Em Benavente não existe qualquer iniciativa por parte da autarquia para promover a gastronomia local. Os donos dos restaurantes queixam-se de nunca ter existido uma aposta de marketing séria e regular para trazer mais público ao concelho. O presidente da câmara, António José Ganhão, acusa os restaurantes que não agarraram as iniciativas criadas.

Edição de 07.03.2012 | Sociedade
A Câmara Municipal de Benavente não adoptou nenhum prato do concelho para ajudar a promover a gastronomia local, ao contrário das câmaras vizinhas. Vila Franca de Xira tem o sável, Azambuja o bacalhau com torricado e Salvaterra de Magos as enguias. Os donos dos restaurantes do Porto Alto, concelho de Benavente, não poupam nas críticas à autarquia. Já o presidente da autarquia, António José Ganhão (CDU), diz que a culpa é dos restaurantes que nunca se mostraram disponíveis para aderirem a iniciativas gastronómicas.O Porto Alto, que chegou a concentrar mais de 30 restaurantes antes da construção das pontes Vasco da Gama e Lezíria e da auto-estrada 13, era conhecido pelas enguias. “Vinham multidões para comer enguias aqui. Hoje em dia as pessoas mais velhas ainda procuram, mas a nova geração vai toda para Salvaterra de Magos que promove o Mês da Enguia”, explica o dono do restaurante Chico do Porto, César Costa. “Os restaurantes do concelho têm vivido um pouco à sua conta. A autarquia nunca fez nada para promover a gastronomia. Tentou ainda implantar o cozido de carnes bravas, mas rapidamente desistiu. É preciso persistir até se criar o hábito”, acrescenta o responsável pelo restaurante A Torre, Jorge Paiva. Os comerciantes dizem que nunca existiu uma “estratégia de marketing” da autarquia para promover a gastronomia e outros concelhos encarregaram-se de agarrar muitos dos pratos tradicionais. A última iniciativa gastronómica remonta a 1998 quando, em parceria com a Casa do Ribatejo e o entusiasmo de um proprietário de um restaurante de Samora Correia, a câmara promoveu o Cozido Bravo. Segundo a autarquia a iniciativa teve na altura “uma grande projecção mediática na comunicação social, visibilidade que foi aproveitada para tentar promover as carnes bravas como sendo as mais puras, saborosas e saudáveis”. Mas alguns restaurantes deixaram de ter o cozido nas suas ementas, o que “matou” o projecto. “Nunca conseguimos juntar as vontades de todos os restaurantes para levar por diante qualquer iniciativa gastronómica no concelho. O cozido de carnes bravas perdeu-se e outros concelhos aproveitaram-no, tal como as enguias”, confirma António José Ganhão. O autarca está disponível para retomar uma iniciativa, mas precisa da união de um conjunto significativo de restaurantes. “Precisamos de ter a certeza que os restaurantes vão aderir e cumprir. Não podem é depois estar a vender bifanas porque é o que os camionistas pedem”, acrescenta. No site da Câmara de Benavente na internet destaca-se como produtos regionais o cozido bravo à ribatejana, o torricado, a açorda de sável, as migas com entrecosto ou bacalhau e o ensopado de enguias. Não é apresentada contudo qualquer lista dos restaurantes da região, onde permanece apenas a indicação “em actualização”. Também as receitas têm a indicação de “em actualização”. A autarquia tem no entanto apoiado a nível logístico e financeiro iniciativas gastronómicas que se realizam no concelho, organizadas pelas associações e colectividades.Concelhos vizinhos promovem iniciativas gastronómicasA Câmara Municipal de Vila Franca de Xira resolveu adoptar como prato do concelho o sável e colocou em curso o Mês do Sável que decorre durante Março e Abril. Os restaurantes que participam inserem na sua ementa como chamariz o sável frito com açorda de ovas. A iniciativa conta este ano com a adesão de 25 restaurantes do concelho. A autarquia resolveu escolher este peixe por ser o principal responsável pelas migrações de Varinos e Avieiros para o município que conta com cerca de 23 quilómetros de extensão da frente ribeirinha. Em Azambuja também existe uma preocupação com a gastronomia local e o site do município apresenta uma longa lista dos restaurantes espalhados pelas freguesias onde o público pode provar pratos típicos da zona. O concelho adoptou como prato típico o torricado - confeccionado à base de pão caseiro, alho e azeite - com bacalhau assado. Destaca-se também a caldeirada à fragateiro, o ensopado de enguias, as enguias fritas, a açorda de sável, o arroz de lampreia que contempla como ingredientes peixes do rio como a fataça, a enguia, a lampreia, o sável e a saboga. Também Salvaterra de Magos promove durante o mês de Março o mês da enguia.
Benavente perde oportunidades de promover a gastronomia local através de um prato típico

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...