uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Das veias de Marco já saíram 50 litros de sangue para ajudar o próximo

Das veias de Marco já saíram 50 litros de sangue para ajudar o próximo

Morador de Constância cumpriu na semana passada a centésima dádiva. Um feito não muito comum e que é distinguido pela Federação de Associações de Dadores de Sangue com o seu mais alto galardão.
Edição de 07.03.2012 | Sociedade
São 100 dádivas correspondentes a 50 litros de sangue extraídos das suas veias para ajudar quem precisa. Marco Jurado, 64 anos, deve ser dos dadores no activo a nível nacional com historial mais vasto. A centésima dádiva foi feita recentemente no Hospital de Abrantes, onde habitualmente se desloca para esse efeito. Até Setembro, mês em que completa 65 anos, ainda prevê dar sangue mais duas vezes . Depois, o limite imposto pela idade obriga-o a parar.O altruísmo e sentido solidário de Marco Jurado, natural de Constância, onde sempre residiu, merece ainda mais realce pelo facto de não pertencer a qualquer organização de dadores de sangue que habitualmente organizam colheitas. A associação mais próxima de Constância fica em Tramagal, do outro lado do Tejo, e os transportes para lá não abundam. Por isso prefere recorrer ao Hospital de Abrantes, para onde se desloca de autocarro, sempre que é ultrapassado o prazo de três meses que deve ser respeitado entre dádivas. Sempre com o objectivo de ajudar o próximo.A primeira vez que deu sangue foi aos 18 anos. Era bombeiro na corporação de Constância, onde esteve ao serviço durante vários anos, e foi requisitado para ir a Torres Novas sem lhe dizerem ao que ia. Quando soube sentiu algum receio das agulhas e de toda aquela parafernália, mas depressa se habituou. E a partir daí nunca mais parou.Dos serviços de sangue do Hospital de Abrantes nada tem a dizer, referindo que lhe deram os parabéns e agradeceram quando constataram que era a sua centésima dádiva.Marco Jurado foi operário na fábrica da Companhia de Celulose do Caima em Constância durante muitos anos, estando já reformado. Actualmente pertence aos órgãos sociais do Clube Estrela Verde e é uma pessoa sempre activa e empenhada na vida da comunidade.Chegar às 100 é caso raroO presidente do Grupo de Dadores de Sangue de Pernes, Mário Gomes, diz que “é raro” um dador atingir as 100 dádivas, referindo que na sua associação, entre mais de mil inscritos, apenas dois atingiram essa marca: um com 105 (já retirado) e outro, ainda no activo, que já vai nas 125.Por ser pouco habitual, a Federação de Associações de Dadores de Sangue atribui um galardão (a lágrima de diamante) a quem ultrapassa a barreira das cem dádivas.
Das veias de Marco já saíram 50 litros de sangue para ajudar o próximo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...