uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Loja social abre em Alhandra para combater a pobreza envergonhada

Loja social abre em Alhandra para combater a pobreza envergonhada

Espaço no mercado da vila é uma iniciativa de uma comissão de três freguesias

A pobreza envergonhada está a aparecer em consequência do aumento do desemprego, diz o presidente da Comissão Social de Freguesias de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes. Para ajudar a minimizar o problema foi criada a primeira loja social do concelho onde se podem adquirir bens essenciais a preços muito reduzidos.

Edição de 07.03.2012 | Sociedade
Roupas, brinquedos, livros e material escolar são alguns dos bens que será possível adquirir na nova loja social de Alhandra, situada no mercado da vila. Por preços simbólicos, entre os 50 cêntimos e os 3 euros, será possível aos mais carenciados adquirir produtos úteis para o seu dia-a-dia, especialmente peças de vestuário. O espaço foi inaugurado no sábado, 3 de Março, para ajudar a combater o crescimento da pobreza envergonhada, causada essencialmente por situações de desemprego nos agregados familiares.A loja social é a primeira a surgir no concelho de Vila Franca de Xira e a ideia partiu da Comissão Social de Freguesias (CSF) de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes, presidida por Luís Filipe Dias, que é também presidente da Junta de Freguesia de Alhandra. “O desemprego é o principal problema. Quem ontem estava bem e tinha uma vida estabilizada hoje não está. A pobreza envergonhada está a aparecer e as pessoas são dignas, sentem que as coisas não estão bem. São casos que têm de ser encarados com sensibilidade”, refere. O espaço no nº11 do mercado retalhista de Alhandra foi cedido pela câmara municipal e recuperado pela CSF. Vai servir as populações das três freguesias, representando um universo de cerca de 20 mil habitantes. Com a ajuda dos comerciantes da vila, empresários e instituições sociais foram colocadas as primeiras peças para venda. “Noventa por cento da roupa é nova e estava nas lojas”, acrescenta Luís Filipe Dias a O MIRANTE. Numa primeira fase o espaço vai estar aberto uma tarde por semana. Qualquer pessoa interessada em dar roupa, brinquedos ou livros pode fazê-lo na junta de freguesia. Antes dos bens seguirem para a loja são analisados por uma equipa que os vai inventariar e tratar. Os interessados em receber ajuda poderão solicitá-la na junta mas terão de sofrer uma triagem que comprove a sua situação de carência.
Loja social abre em Alhandra para combater a pobreza envergonhada

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...