uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

A Corrida das Lezírias vista pelo motorista que ganhou a prova oito vezes

Cerca de dois mil desportistas fizeram o percurso entre a cidade e o campo

O atleta que venceu oito vezes a Corrida das Lezírias, em Vila Franca de Xira, encabeçou o pelotão da frente no domingo de manhã. Este ano José Santos, funcionário da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, dominou não em terra mas ao volante do jipe que abriu o caminho a milhares de desportistas lezíria adentro.

Edição de 14.03.2012 | Desporto
Depois do tiro de partida José Santos toma a dianteira na Corrida das Lezírias, em Vila Franca de Xira, no domingo de manhã, 11 de Março. Não vai a liderar o pelotão da frente por terra, como em anos anteriores, mas ao volante do jipe que fará o percurso à frente dos atletas.O evento realiza-se há 17 edições. Apesar de estar ligado à organização enquanto funcionário da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, José Santos, participou em quase todas as edições como desportista. Só falhou duas vezes porque estava a participar em campeonatos nacionais como atleta de alta competição. Ficou dez vezes nos lugares do pódio na Corrida das Lezírias. Oito vezes no primeiro lugar, uma no segundo lugar e outra no terceiro. É uma cara conhecida entre os vilafranquenses adeptos do desporto e por isso a cada esquina por onde passa colhe um piropo: “Oh José, assim é mais fácil!”.José Santos sorri, cumprimenta e acena sem perder de vista o telemóvel transformado em cronómetro. O homem de verde, que haveria de ser o vencedor, João Marques (ver caixa), lidera com larga vantagem e José Santos quer dar a indicação da distância. “Diz-lhe que leva um minuto e 15 de vantagem”, atira a um popular que assiste à corrida e pede que passe mensagem.As cores das camisolas dos atletas vão trazendo colorido à cidade. Atravessam a ponte Marechal Carmona e aventuram-se lezíria adentro num percurso total de 15 quilómetros. Este ano regressou o percurso original à prova de atletismo. O mesmo é dizer que os atletas correram mais ao longo da lezíria disfrutando da paisagem natural. “Está a ver aquela garça branca junto às canas? Está a ver a beleza que isto tem? O cavalo acolá a pastar e a cegonha a levantar?”, descreve quase emocionado o apaixonado pela natureza, por Vila Franca de Xira e pelo desporto em geral. “Vamos adiantar um pouco para não fazer pó”, avisa. O jipe polui o ar dos atletas e por isso é necessário assegurar uma distância de segurança. José Santos, 41 anos, conduz o jipe mas deseja estar na estrada a correr ao lado dos outros. Pensa como um atleta e por isso fala no que sentem os atletas nestas horas. “O atleta vai agora naquela fase de saturação natural. Tem a corrida completamente controlada e há que chegar ao fim”.A paisagem, que por esta altura costuma ser verde, está agora pintada de creme pelo sol e falta de chuva. Os campinos, trajados a rigor, assinalam os pontos de viragem lezíria adentro. “Há atletas que a meio do pelotão param para tirar fotografias junto ao campino”, diz com um sorriso. José Santos trabalhava numa oficina quando aos 17 anos decidiu começar a correr integrando o mundo do atletismo. Conciliou sempre o desporto com o trabalho na câmara onde é funcionário há 23 anos. Tinha liberdade, enquanto atleta de alta competição, para fazer a preparação física ausentando-se do trabalho.Reside no Carregado. O CUAB de Benavente é o seu actual clube. Aos cinco anos via o Sporting na Taça dos Campeões Europeus de corta mato e desejava estar lá. “Via a televisão e sonhava correr. Realizei esse sonho. É por isso que é importante que as crianças sonhem. Com trabalho os sonhos serão realizados”. A tristeza de não participar este ano na corrida é superada pela constatação de que a tradição se mantém. O mais importante é que a corrida está na estrada. Quando ouviu o tiro de partida, confidencia, começou de imediato a pensar na próxima edição.Dois mil atletas correram entre a cidade e o campoJoão Marques, atleta do GDR Reboleira, foi o vencedor da Corrida das Lezírias com 00:50:19. Seguiu-se Pedro Pessoa, do CR Praia Salema com 00:50:57 e Bruno Rodrigues, individual, com 00:51:27. As primeiras mulheres a cortar a meta foram Carla Pinto, da GD Macedo Oculista (01:02:22), Alice Basílio, da AAMafra (01:03:02), e Filipa Costa do CDC Navais (01:05:10).Participaram cerca de 2000 atletas na prova principal e nas provas paralelas: a “Mini Corrida” (entre as freguesias de Alhandra e de Vila Franca de Xira, pelo passeio ribeirinho) e a “Corridinha”, especificamente preparada para os mais pequenos (no Parque Urbano do Cevadeiro, Vila Franca de Xira).A “Corrida das Lezírias”, uma organização do pelouro de desporto da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, pretende promover a competição e incentivar a prática de desporto e de um estilo de vida saudável.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...