uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Hóquei em patins está bem vivo no Ribatejo

União do Entroncamento e Sporting de Tomar defrontaram-se na segunda eliminatória da Taça de Portugal e encheram o pavilhão de um público vibrante

Com o pavilhão Albano Mateus, no Entroncamento praticamente cheio para assistir ao jogo da segunda eliminatória da Taça de Portugal. O jogo opunha os vizinhos União e Sporting de Tomar, equipas que embora disputem escalões diferentes, os do Entroncamento na Terceira Divisão Nacional, os de Tomar um escalão acima, na Segunda Nacional, se mostraram muito equilibradas. A tradicional rivalidade entre vizinhos escondeu debilidades e a emoção andou à solta durante todo o jogo.

Edição de 21.03.2012 | Desporto
Como lhe competia o Sporting de Tomar entrou a dominar a partida a ter mais posse de bola e numa sticada de fora da área Nuno Domingues coloca a sua equipa na frente do marcador (0-1), estavam decorridos poucos momentos de jogo. O União tentava equilibrar a partida e aos poucos foi conseguindo esse intento, no entanto quando os tomarenses aceleravam eram nítidas as dificuldades no último reduto unionista, onde o guarda-redes Tiago Velez ia-se cotando em bom nível. O jogo decorria equilibrado com as jogadas de perigo a decorrerem perto das duas balizas, os guarda-redes mostravam grande eficiência e iam defendendo os fortes remates dos atacantes. Mas os tomarenses aproveitaram melhor as suas oportunidades e chegaram aos 3-0, quando faltavam cerca de três minutos para o intervalo.Parecia que o destino da partida estava selado, mas tudo não passou de uma ilusão pois ainda havia muito para jogar e numa grande penalidade assinalada contra o Tomar por derrube a Bruno Carvalho, “PR” chamado à marcação não desperdiça e faz o 1-3, faltavam 2’53’’ para o intervalo, mas antes do descanso chegar o Sporting de Tomar atinge a 10ª falta e PR, chamado à marcação do respectivo livre directo, faz o 2-3. Com 01’41’ para jogar o resultado não voltaria a funcionar.A segunda parte trouxe um União empurrado pelos seus adeptos, mais confiante e mais afoito e um Sporting de Tomar concentrado e a tentar jogar no erro do adversário, fazendo circular a bola e deixar o tempo correr, pois corria a seu favor e logo no início Bruno Pereira iguala a partida. A emoção e o entusiasmo aumentou e atingiu o auge quando com as duas equipas reduzidas temporariamente a quatro unidades, Bruno Pereira com uma sticada de longe, bateu o guarda-redes tomarense e colocou a sua equipa na frente.O entusiasmo recrudesceu e o Pavilhão Augusto Mateus transformou-se num autêntico “vulcão”, os adeptos das duas equipas não se cansavam de apoiar os seus jogadores. O Sporting de Tomar depois de estar a vencer por 0-3 via-se agora numa situação desfavorável. Mas o União atingiu a 15ª falta e Hernâni Diniz chamado à marcação do livre directo não desperdiça e faz o empate (4-4).Com o pavilhão ao rubro e com os guarda-redes a cotarem-se como os melhores em pista nesta fase do jogo, as equipas tentavam evitar o prolongamento, e num desses lances, Tiago Barros dentro da sua área, coloca a bola no stique de Chiquinho que só com Marco Gaspar pela frente não consegue marcar.Faltava 01’45’’ para o final quando Marco Bento, ultimo jogador da equipa pois todos os seus companheiros estavam na zona da área leonina, a perder a bola para Hernâni Diniz que isolado na “cara” de Tiago Velez faz o 4-5. Balde de água fria nas aspirações unionistas e seu publico afecto e veio a desconcentração aliada à forma gélida como se sofre o golo, e o jovem Hernâni Diniz aproveitou essa mesma desconcentração para numa seticada de fora da área voltou a bater Tiago Velez e terminou com qualquer veleidade da equipa do Entroncamento. O resultado não se viria a alterar e o Sporting de Tomar segue para os 1/32 de final. O União sai de cabeça erguida fruto da excelente exibição que efectuou e provar que a jogar desta forma tem condições para estar na Divisão imediatamente acima.Com a arbitragem a cargo de Vítor Roxo de Leiria as equipas apresentaram-se da seguinte forma: União FE: Tiago Velez (gr), Bruno Pereira, Pedro Brazete, Marco Bento e João Capitolino.Suplentes: Luís Santos (gr), Bruno Carvalho, João Mendes, “PR” e Chiquinho. Treinador: Miguel Jerónimo.Sporting de Tomar: Marco Gaspar (gr), Nuno Domingues, João Lomba, Ivo Silva e Tiago Barros. Suplentes: Márcio Ornelas (gr), Bruno Januário, João Almeida, Pedro Vitorino e Hernâni DinizTreinador: Nuno Lopes.No final os treinadores também mostravam a emoção do jogo. Nuno Lopes, do Sporting de Tomar, garantia que já esperava o que se viu em campo. “O União tem uma bela equipa, muito experiente e que joga com raça, não foi por isso uma presa fácil, mas penso que a nossa vitória é justa. O jovem técnico do União, Miguel Jerónimo também não estava nada abatido com a derrota. “A Taça não é um objectivo e sabíamos bem que o Sporting de Tomar é uma das melhores equipas da segunda divisão. Jogámos bem e isso deu-me ainda mais garantias de que podemos chegar à subida de divisão, esse sim é o nosso objectivo”, garantiu.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...