uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Zona Alta distingue atletas e sócios dedicados

Atleta do ano pediu o cumprimento da promessa da pista de tartan ao presidente da câmara

Desta vez o presidente da Câmara Municipal de Torres Novas não ficou com “grande dor de cabeça” no final das comemorações do 33º aniversário da União Desportiva e Recreativa da Zona Alta. Só o atleta do ano pediu o cumprimento da promessa da construção da pista de tartan a António Rodrigues. Os dirigentes preferiram apelar à continuação do apoio que lhe é prestado.

Edição de 21.03.2012 | Desporto
A União Desportiva e Recreativa da Zona Alta de Torres Novas continua a ser uma colectividade com grande dinamismo. Com trinta e três anos de vida, trabalha com mais de quatro centenas de atletas, nas modalidades de atletismo, basquetebol, tiro com arco, ginástica, karaté e xadrez. Mas o atletismo com quase uma centena de jovens atletas continua sem uma pista para treinar.O ambiente era de festa. Para além de juntar cerca de duas centenas de pessoas no jantar de comemoração do seu 33º aniversário, o clube distinguiu os associados que completaram vinte e cinco anos de sócio e os atletas que mais se destacaram em cada uma das modalidades. Na altura das distinções, ao ser lido o currículo do atleta David Gomes Sénica, distinguido na modalidade de atletismo, começaram as acções de sensibilização.O jovem David Sénica, que compete na categoria de iniciados, e é uma grande promessa mesmo a nível nacional, disse que a “única coisa que espero cumprido pelo presidente da Câmara Municipal de Torres Novas é que antes de terminar o seu mandato construa uma pista de treinos sintética no estádio municipal, como consta do seu programa eleitoral e foi prometido várias vezes”.António Rodrigues ouviu ler o pedido, mas não repetiu a promessa. Limitou-se a elogiar o trabalho executado pela Zona Alta e a garantir o apoio possível. “Os tempos estão dramaticamente difíceis, e só posso garantir que vou fazer tudo o que é possível para manter o apoio ao vosso trabalho, que ninguém consegue pagar”.Mas a mágoa não é só de David Sénica. Ela estende-se a toda equipa de atletismo e aos dirigentes do Zona Alta. “Sem pista para treinarmos fazemos autênticos milagres, conquistando vários títulos individuais e colectivos. Já merecíamos ter uma pista para treinar. Mas infelizmente isso ainda não é uma prioridade para a nossa câmara”, disseram alguns dos dirigentes presentes.O presidente do clube, José Gomes, colocou ainda mais “água na fervura”, optando pela palavra sensibilização. “Sabemos das dificuldades da autarquia. A sua ajuda tem sido muito importante para podermos desenvolver o nosso trabalho. Não estamos imunes à crise, tudo está muito difícil, chegar ao fim do mês e arranjar verbas para pagar o trabalho que se desenvolve no clube não é fácil, precisamos da ajuda de todos”, disse evitando entrar em polémicas.Os atletas distinguidos como atletas do ano, foram: David Sénica, no atletismo; no basquetebol, Patrícia Lopes; na ginástica, Carolina Pedro; no karaté, Mariana Reis, no tiro com arco, João Alexandre Joaquim; no Xadrez, Rui Silva Pires.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...