uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Durante 15 dias Vila Franca de Xira foi a capital da nação portuguesa

Palácio onde ficou D. João VI foi demolido e é hoje um prédio de habitação
Edição de 21.03.2012 | Sociedade
Em 1823 Vila Franca de Xira foi a capital da nação portuguesa, durante quinze dias, quando o rei D. João VI saiu de Lisboa e se instalou no palácio de António Feliciano de Sousa, situado na antiga rua direita de Vila Franca. O episódio aconteceu durante a Vilafrancada, nome dado à insurreição liderada pelo infante D. Miguel a 27 de Maio de 1823.Durante a presença do rei em Vila Franca a localidade assumiu o papel de capital do país, substituindo Lisboa, devido à localização do novo paço real, então o principal centro político e decisório do país. Juntamente com o rei foi também a corte e a nobreza. Naquela época a presença do rei serviu também para dar um empurrão à fraca economia rural de Vila Franca. D. João saiu de Lisboa com medo do golpe que estava a ser preparado pelo infante D. Miguel. “Infelizmente o palácio onde o rei ficou foi demolido nos anos 50 do século XX e é hoje um prédio de habitação”, lamenta Nuno Campos, mestre em Estudos do Património e funcionário da Câmara Municipal de Lisboa. Nuno Campos foi convidado pelo Núcleo Museológico de Alverca para falar sobre a “Vilafrancada: personagens e estratégias”, no âmbito de várias investigações que tem realizado sobre o tema. A próxima sessão das “conversas sobre património e história”, que se realizam no núcleo de Alverca do Museu Municipal, realiza-se no dia 31 de Março. José Raimundo Noras irá falar sobre as “Razões de um mercado: a arquitectura do Mercado Municipal de Santarém, um modelo histórico-cultural”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...