uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Um coro que “funciona como terapia”

Um coro que “funciona como terapia”

Coro do Município de Benavente comemora o nono aniversário

O Coro do Município de Benavente comemorou no sábado, 17 de Março, o 9º aniversário com um encontro de coros que decorreu na Igreja Matriz, em Benavente. É o único que existe de momento no concelho e reúne 31 pessoas. Para além da música, é também um espaço onde se criam amizades e serve de terapia para muitos coralistas.

Edição de 21.03.2012 | Sociedade
O Coro do Município de Benavente, que celebra este mês o 9º aniversário, está aberto a quem gosta de cantar, mesmo aos que têm maiores dificuldades, o que o torna especial. “Se fosse um coro de uma colectividade provavelmente nem toda a gente que está aqui poderia participar. Este grupo funciona para muitos como uma terapia, um momento social, que preenche as suas vidas”, explica Paulo Nunes, de 44 anos, que está praticamente desde o início do grupo. Exemplo claro deste bom acolhimento é o de uma senhora que permaneceu no coro até aos 80 anos, mesmo quando a voz já começava a fraquejar. “Quando é tudo muito profissional, torna-se mais sério e desaparece o ambiente familiar que existe entre todos”, acrescenta Paulo Nunes que à profissão de electricista soma também a de músico. Opinião idêntica tem Clara Branco, 40 anos, assistente de dentista. “Estamos aqui com bastante fairplay e sinto que toda a gente gosta de cantar e ajudamo-nos mutuamente”, explica. Este é um dos motivos que ajuda a explicar os 31 elementos que existem, com idades entre os 20 e os 70 anos, para além de ser o único grupo coral do concelho. Inicialmente pensado para os funcionários da autarquia, acabou por ser aberto a toda a população já que não contava com muitas inscrições. “O concelho de Benavente nunca teve uma tradição de coros. Temos muitos bons músicos a saírem das colectividades, mas não tínhamos coralistas e a câmara decidiu avançar com o projecto”, explica o maestro Daniel Manuel, de 27 anos. É a autarquia que assegura o funcionamento do grupo, desde a compra de fardas até ao pagamento do maestro. A câmara ainda disponibiliza o transporte para os ensaios às terças e quartas-feiras a todos os que moram mais longe do Centro Cultural de Benavente. O coro conta com 12 presenças masculinas, o que não é muito comum. “Os coros são feitos maioritariamente por mulheres e os homens acabaram por interiorizar esta ideia. Mas depois de experimentarem acabam por gostar”, constata o maestro. Muitas pessoas que entraram no início acabaram por sair, mas existe um núcleo duro que se mantém. Por ano, têm cerca de uma dezena de saídas que são importantes para motivar todos os presentes. No sábado nas comemorações do aniversário, o coro recebeu o Orfeão de Almeirim e o Coro do Clube Galp Energia num encontro de coros.
Um coro que “funciona como terapia”

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...