uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Inaugurado Museu de Almeirim que é uma réplica de outro que fechou por falta de visitantes

Trata-se de mais uma tentativa para valorizar o património histórico do concelho com a ideia de se fazer um museu de maiores dimensões.

Edição de 28.03.2012 | Cultura e Lazer
Talvez o presidente da Câmara de Almeirim não se lembrasse no sábado, dia em que inaugurou o museu municipal da cidade, que sete anos antes, no mesmo local, tinha estado a inaugurar o museu que na altura se chamava de etnográfico. Sousa Gomes (PS) em 2005 mostrava-se satisfeito por ter um museu que acabou por não ter visitantes e foi encerrado pouco tempo depois. Agora abre uma réplica que tem em grande parte as mesmas peças do projecto inicial.O Museu Municipal de Almeirim está localizado no centro coordenador de transportes que nunca serviu as funções para o qual foi construído porque está afastado do centro e não faz parte dos circuitos habituais da população. Questionado sobre se espera que o museu tenha mais afluência do que teve a gare de transportes, o autarca confessa que o museu se dirige preferencialmente mais a escolas e a elementos de universidades da terceira idade. Será eventualmente por isso que tem um horário de expediente de terça a sexta-feira, abrindo apenas fora disso ao sábado à tarde.Ao domingo, dia em que a zona da praça de toiros, a cerca de 200 metros, recebe milhares de pessoas que procuram os restaurantes da sopa de pedra, o museu está fechado. Porquê? Diz o presidente que tem a ver com alguma contenção orçamental e com a necessidade de conter custos. Para Sousa Gomes este é um primeiro passo para um museu com maior capacidade até porque só uma parte das peças está exposta na sala que serviu para gabinetes e bilheteiras da gare da rodoviária.Sousa Gomes tem esperança de fazer um verdadeiro museu com a recuperação do edifício do antigo hospital da ordem terceira, também conhecido por escolas velhas, onde está a sede da Associação 20 Kms, que se encontra bastante degradado, conforme já tinha dito a O MIRANTE em Novembro do ano passado. Mas o projecto está dependente de financiamento de fundos comunitários que não estão garantidos. No entanto já foi encomendado um projecto de recuperação.A ideia, esclarece agora o presidente, é colocar no local também várias peças históricas recolhidas pela Associação de Defesa do Património Histórico e Cultural do Concelho de Almeirim, que estão guardadas na sua sede na antiga biblioteca Calouste Gulbenkian. Há mais de dez anos que a câmara tenta valorizar as peças históricas, quando foi desactivado o museu etnográfico da Casa do Povo de Almeirim, que acabava por ser um depósito já que não estava aberto ao público e só se faziam visitas por marcação, e onde hoje funciona o serviço local de Segurança Social.Em 2004 O MIRANTE tinha encontrado parte do espólio histórico nos estaleiros do município sem qualquer abrigo ou protecção. Uma das peças era um banco com azulejos do século XV e que não faz parte da exposição do novo museu, inaugurado no sábado 24 de Março. O novo museu municipal mostra peças que recordam os trabalhos agrícolas de antigamente, objectos religiosos, fotografias, mapas, moedas, uma casaca de cavaleiro tauromáquico, pedras tumulares, entre outros. Está aberto de terça a sexta das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00 e ao sábado das 14h00 às 17h00.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...