uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Esquizofrénico espanca mãe até à morte no Tramagal

Esquizofrénico espanca mãe até à morte no Tramagal

Agressor tem antecedentes criminais e tinha agredido há poucos dias o próprio pai

O corpo da vítima apresentava indícios de morte violenta e sinais de esmagamento do crânio. Foi encontrado por um popular num local pouco frequentado da localidade.

Edição de 28.03.2012 | Sociedade
Na pacata vila de Tramagal, concelho de Abrantes, vive-se por estes dias um clima de consternação e revolta com os contornos de extrema violência do homicídio de Lídia Grácio, 55 anos, encontrada morta na Rua dos Cascalhos, na tarde de segunda-feira, 26 de Março, por um popular. O corpo da mulher apresentava indícios de morte violenta e sinais de esmagamento do crânio. Terá sido vítima do próprio filho, um homem de 34 anos, já detido pela Guarda Nacional Republicana a quem confessou o crime.O homem tem antecedentes criminais, é esquizofrénico, e tinha agredido há poucos dias o próprio pai, de 58 anos, tendo este de ser encaminhado para o Hospital de Abrantes, para receber tratamento médico. Já confessou o crime às autoridades, encontrando-se detido preventivamente até ser presente a interrogatório judicial. Sem profissão, era habitual ver Paulo Grácio a vaguear pelas ruas da vila.Joaquim António, um habitante da localidade, foi quem encontrou o corpo da vítima, no meio da via pública, num local pouco frequentado. “Pensei que a senhora tivesse caído e se tivesse aleijado. Quando parei para a socorrer e a voltei de barriga para cima é que vi a cara toda partida, com sinais de agressões bastante violentas”, contou à agência Lusa. Os moradores contam que a vítima já tinha várias vezes pedido ajuda para curar a doença do filho, que necessita de medicação. Sem grandes posses, a família não conseguia assegurar o tratamento.Na página comunitária do Tramagal criada na rede social facebook são várias as mensagens de pêsames e consternação. “Nem quero acreditar, uma rapariga da minha geração que não fazia mal a ninguém. Que a sua alma esteja em paz”, diz Fidelia Corregedor. Outra habitante revela-se incrédula com o acontecido. “Nunca pensei que nesta pacata vila pudesse ocorrer um crime desta natureza. Estou chocada”, escreve. A Polícia Judiciária de Leiria está a investigar o caso.
Esquizofrénico espanca mãe até à morte no Tramagal

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...