uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Fazendense conquistou a Taça do Ribatejo

Equipa de Fazendas de Fazendas de Almeirim venceu os Empregados no Comércio de Santarém por 4-1 numa final bem disputada

O Fazendense venceu, pela segunda vez, a Taça do Ribatejo, que este ano se disputou pela 35ª vez. No Dia do Trabalhador, 1 de Maio, em Almeirim, “Os Caixeiros”, como é popularmente conhecida a equipa de Santarém, equilibrou na primeira parte mas no segundo tempo os Fazendenses revelaram maior frescura física e melhor adaptação ao terreno e venceram por 4-1.

Edição de 02.05.2012 | Desporto
Associação Desportiva Fazendense, de Fazendas de Almeirim, venceu o “Os Caixeiros” - Grupo de Futebol dos Empregados no Comércio de Santarém, por 4-1, na final da Taça do Ribatejo, e conquistou o troféu pela segunda vez no seu historial. O jogo foi disputado no dia 1 de Maio, Dia do Trabalhador, no Estádio D. Manuel de Mello, em Almeirim, e constituiu uma bonita festa do futebol distrital.Foi um autêntico festival, sobretudo na segunda-parte. Os muitos espectadores, cerca de um milhar, tiveram a sorte de ter uma tarde agradável, e acabaram por não dar por mal empregue o tempo que passaram no estádio do União de Almeirim. Assistiram a um bom jogo de futebol e a uma bonita festa, que demonstrou que o futebol distrital está vivo e recomenda-se.Os dois treinadores colocaram as suas equipas em campo com sistemas idênticos, apostando num 4x1x3x2, que se desfazia com facilidade em 4x3x3 com saídas rápidas para o contra ataque. Mas os jogadores de ambos os conjuntos mostraram cedo um certo nervoso miudinho, que os levou a errar muitos passes.Até ao intervalo as duas equipas encaixaram bem uma na outra e optaram por uma toada lenta. O Fazendense criou algumas boas oportunidades de golo, mas os seus jogadores estiveram desastrados frente ao guarda-redes Fábio, que evitou que as suas redes fossem violadas. Ainda antes do final da primeira parte, o treinador do Fazendense, Renato Bento, foi obrigado a fazer uma substituição. Bruno Brito lesionou-se e entrou para o seu lugar o jovem Fredy. O jogo entrou depois numa toada de grande equilíbrio, sem grandes oportunidades de golo. Fazendense e “Caixeiros” jogavam de igual para igual, e à saída para o intervalo registava-se um empate a zero.Após o intervalo o Fazendense regressou com outra disposição ao jogo e ainda os espectadores não se tinham sentado nas bancadas, aos 48 minutos, e já Dionísio batia pela primeira vez o guarda-redes dos “Caixeiros”. O meio campo do Fazendense não dava tréguas ao seu adversário, e por isso o jogo passava muito por jogadas de contra-ataque. Jogava-se rápido e com alguns lances de bom futebol, e também com grande virilidade, mas com respeito mútuo entre os jogadores de ambas as equipas. Dois minutos depois, numa rápida jogada de contra ataque, Fredy correu pela direita, bateu o lateral esquerdo dos “Caixeiros” em velocidade e na hora certa cruzou para o lado contrário onde apareceu de novo Dionísio a chutar forte para o fundo da baliza defendida por Fábio. A partir daqui o jogo fechou-se mais um pouco. Os jogadores lutavam com grande intensidade e nas bancadas as claques das duas equipas, estavam galvanizadas e tentavam puxar pelos seus jogadores. Mas aos 61 minutos o defesa central dos “Caixeiros”, Sérgio perdeu a bola à saída para o ataque para Rebita que correu isolado para a baliza e à saída de Fábio fez o terceiro golo do Fazendense. O resultado do jogo ficou sentenciado. E aos 80 minutos, de novo Rebita colocou ainda mais a certeza da vitória do Fazendense, ao fazer o quarto golo da sua equipa.Daí até ao final, a equipa de “Os Caixeiros” tudo fez para chegar pelo menos ao golo de honra, e aos 82 minutos, o recém entrado Samuel Duarte, aproveitou bem a marcação de um canto para de cabeça bater Rogério, estabelecendo o resultado final.O resultado acaba por se aceitar, o Fazendense foi mais forte sobretudo na segunda parte quando empregou uma maior velocidade, mas a equipa de Santarém saiu de cabeça erguida, valorizou a vitória do seu adversário e ajudou a que a festa fosse digna do futebol do distrito de Santarém.Pela equipa do Fazendense, treinada por Renato Bento, alinharam: Rogério, Palhoto, Lucas, Capeto, Liká, Carrapato, Gonçalo, Fábio, Bruno Brito, Dionísio, Rebita, João Bernardo, Caju, Miguel, Ramos, Minhoto, Fidalgo e Fredy.Pelos “Caixeiros”, liderados por Luís Taborda, alinharam: Fábio Bona, Filipe Godinho, Patrício, Ângelo, Rui Marques, Diogo Diogo, Pedro Sousa, Pedro Rodrigues, Marco Marques, Alexandre, Sérgio, Pires, Bruno Morais, José Santos, Samuel Duarte, Gonçalo, Nuno Parreira e Nelson Lopes.Treinadores de acordo, venceu a equipa mais forteNo final do jogo e depois de terem recebido as taças, os jogadores, técnicos, dirigentes e adeptos do Fazendense fizeram uma grande festa. Os treinadores das duas equipas concordavam com a justiça da vitória. A equipa de Fazendas de Almeirim foi efectivamente mais forte.O treinador do Fazendense, Renato Bento, que tinha estado na conquista da primeira taça pela equipa de Fazendas de Almeirim, era o espelho da felicidade. “É uma vitória saborosa, que o nosso adversário soube valorizar. É o culminar de uma época que começou mal mas acabou bem. Os jogadores do Fazendense merecem este prémio”, disse.Renato Bento é ainda um jovem que podia estar dentro do campo a jogar, sentou-se no banco com as botas com que tinha jogado a final em que o Fazendense conquistou a primeira taça. “Não foi uma superstição, foi apenas uma recordação do último grande troféu que conquistei como jogador. Poucos meses depois de ter ganho essa taça fui vítima de um acidente de viação que me deixou impossibilitado para jogar futebol”, foi assim que o técnico explicou a questão das botas.Do outro lado, Luís Taborda não era um homem triste, estava resignado. “Penso que a minha equipa podia ter feito algo mais. Fomos surpreendidos com a entrada de rompante do Fazendense na segunda parte e sofremos dois golos em três minutos e abanámos”, disse em jeito de justificação.Luís Taborda referiu ainda que o terceiro golo do Fazendense matou o jogo. “A infelicidade de Sérgio foi o golpe de misericórdia para a minha equipa. Mas creio que estamos de parabéns chegar até à final já foi uma vitória para estes jogadores”.Satisfeito também estava o presidente do Fazendense, Botas Moreira não demonstrava toda a satisfação que lhe ia na alma, mas garantiu que “é um prémio merecido para estes jogadores e para o jovem treinador, para mim é também uma grande satisfação, principalmente depois de um mau início de época. Estas vitórias são saborosas e ajudam-me a continuar a trabalhar pelo Fazendense. Vamos já começar a preparar a próxima época”, garantiu.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...