uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Aceitou o desafio de agarrar o toiro pelos cornos e explodiu-lhe a arte no forno

Aceitou o desafio de agarrar o toiro pelos cornos e explodiu-lhe a arte no forno

Ceramista Artur Figueiredo é um dos artistas plásticos representados numa exposição tipicamente ribatejana

A expressão agarrar o toiro pelos cornos pode ser tomada a letra quando se assiste àquela parte das touradas em que entram em praça os forcados para tentar agarrar e imobilizar o feroz animal ou pode ser usada como sinónimo de determinação e valentia.

Edição de 02.05.2012 | Sociedade
A peça era em barro e seria uma das que estaria presente no Centro Cultural de Samora Correia até dia 14 de Julho, integrando uma exposição com o título “O Toiro Pelos Cornos”, para a qual foram convidados trinta artistas. Era uma peça alegórica. O toiro representava a crise e o forcado um bem espremido cidadão contribuinte. Artur Figueiredo, um artista plástico de Alverca, conta que a colocou no forno para cozer e que lhe aconteceu algo que nunca lhe tinha acontecido. A alegoria rebentou como uma bomba o que o leva a dizer que o momento que se vive em Portugal é... explosivo.Artur Figueiredo nem sequer se lembrou de tirar uma fotografia à peça antes da explosão. Sem tempo para criar uma nova peça para a exposição, teve que fazer como muitos portugueses atingidos pela austeridade e avançar para o plano B. O desenrascanço. Socorreu-se de algumas peças antigas. São animais com rostos humanos. Numa das peças parece estar representada a ministra da Agricultura, Assunção Cristas. O artista sorri com ar de quem não confirma nem desmente, depois diz que não teve esse objectivo, mas foge da explicação como quem foge de um toiro tresmalhado. A Anabella Vilar, de Alhandra, outra das artistas que participa na exposição, não aconteceu o mesmo que a Artur Figueiredo. Mas para fazer a peça de cerâmica que representa as dificuldades do povo nestes tempos de austeridade quase que sentiu a cabeça a explodir de tanto pensar. Porque, confessa, não tinha qualquer experiência em representar toiros nas suas obras. Acabou por juntar a crise à tauromaquia e dar à peça o nome: “nos cornos do toiro andamos todos nós”. Uma alegoria que é um espetar de farpas à política do Governo em que aparece uma pessoa virada de pernas ao ar a levar uma cornada de um toiro. “Não estamos todos a levar uma série de marradas com a política pouco coerente seguida pelo actual Governo”, questiona. Entre os artistas que pegaram pelos cornos o desafio de participar na exposição está uma ex-bailarina da Gulbenkian. Paula Rousseau, de Lisboa diz que não teve dificuldade em agarrar no tema para realizar a sua instalação, que representa uma manada de vacas com os chocalhos que conduzem um toiro. “Quando começo um trabalho isolo-me da realidade e entro num mundo de afectos onde me ligo emocionalmente a tudo o que vou criando. O processo criativo é muito bom”, explica. Se muitos vivem verdadeiras aventuras no processo criativo, outros sentem-se em casa quando se deparam com temas que costumam trabalhar. Foi o caso do artista plástico Jorge Alexandre, de Vila Franca de Xira, que não teve muitas dificuldades em pintar a aguarela uma manada de touros a correr livremente no campo. “Os ganadeiros e agricultores só vão resistindo por causa da sua paixão. Neste tempo de crise é preciso pegar o touro pelos cornos, acreditarmos nos nossos valores e tradições e levarmos avante aquilo em que acreditamos”, explica.À arte exige-se que tenha a força de um toiro que investe contra um forcado ou um cavaleiro e a beleza de um animal imponente. Os artistas plásticos não arriscam a vida como os toureiros na arena, mas também têm que pegar as ideias, os temas e a vida de caras. E numa altura de crise, alguns dos artistas participantes na exposição são também um pouco de forcados na arte de vencerem as adversidades. A exposição está patente no Centro Cultural de Samora Correia até ao dia 14 de Julho.
Aceitou o desafio de agarrar o toiro pelos cornos e explodiu-lhe a arte no forno

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...