uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Fisco coloca pavilhão do UDV à venda e penhora contas bancárias

Fisco coloca pavilhão do UDV à venda e penhora contas bancárias

Clube só conseguiu pagar três prestações de um acordo para regularizar dívida de 550 mil euros

O União Desportiva Vilafranquense não conseguiu pagar as dívidas às Finanças, que já colocaram à venda o pavilhão que é também a sede do clube por 985 mil euros. O União também tem uma dívida avultada à Segurança Social.

Edição de 02.05.2012 | Sociedade
O pavilhão do União Desportiva Vilafranquense foi colocado à venda em Abril no portal das finanças por 985 mil euros e as contas bancárias do clube foram penhoradas. O imóvel tinha sido dado como garantia de cumprimento dos acordos para regularização da situação fiscal.O clube não tem conseguido pagar as prestações mensais de 4600 euros para saldar a dívida que tem às Finanças, que ascende a 550 mil euros. Só nos primeiros três meses o UDV conseguiu cumprir o estipulado. “Tornou-se impossível continuar a pagar esse valor. Ou deixávamos de ter actividades desportivas ou deixávamos de pagar aos funcionários”, ilustra o presidente da comissão administrativa que dirige o clube desde Novembro, Luís Feijão.As Finanças começaram a aceitar propostas para leilão electrónico a 14 de Abril e indicam como fim do prazo o dia 17 de Julho. A comissão administrativa já escreveu esta semana uma carta ao Director de Finanças de Lisboa pedindo que seja dada ao UDV a oportunidade de pagar o que deve em prestações mais leves e num prazo mais alargado. Luís Feijão garante a O MIRANTE que o clube não tem condições para pagar mais do que mil euros por mês. O UDV deve ainda à Segurança Social 350 mil euros e paga mensalmente uma prestação para regularização da dívida de 3500 euros.O UDV tinha esperança de conseguir arrendar um terreno para instalação de um posto de combustíveis na Estrada Nacional, junto ao Campo do Cevadeiro, em Vila Franca de Xira, mas o projecto foi recusado por estar a menos de dois quilómetros de outro estabelecimento do género.O clube espera agora conseguir fazer negócio com um outro terreno no Bom Retiro com a mesma empresa que chegou a estar interessada em instalar a bomba de gasolina na estrada nacional. O único problema é que o terreno tem declives e requer mais investimento na instalação de uma infra-estrutura deste tipo. Um promotor chegou a oferecer mil euros pelo terreno mas na altura o clube recusou a proposta por achar o montante insuficiente. O União Desportiva Vilafranquense tem cerca de 500 praticantes e quatro funcionários.
Fisco coloca pavilhão do UDV à venda e penhora contas bancárias

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...