uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Presidente da Junta da Póvoa apela ao civismo dos fregueses

Edição de 16.05.2012 | Sociedade
A crescente vandalização dos espaços públicos da Póvoa de Santa Iria, concelho de Vila Franca de Xira, está a indignar a população e muitos temem que o fenómeno se agrave no futuro. E o presidente da junta já veio apelar na internet ao civismo dos fregueses. Abandono de automóveis na via pública, destruição de paragens de autocarro e parques infantis, pintura de paredes, contentores do lixo, fontes e canteiros destruídos, são um sem número de casos com que se deparam muitos munícipes diariamente. “Há muitos com demasiado tempo livre para andarem a estragar o que os outros demoram a arranjar. Devia haver mão pesada da polícia”, defende Rosa Dias, moradora a O MIRANTE. Na sua rua há um canteiro onde as flores duram pouco tempo. “As pessoas estacionam nos passeios e metem as rodas dos carros em cima dos canteiros. É muito triste”, conta-nos. Outra moradora da cidade, Sandra Oliveira, critica os vizinhos que alimentam os animais abandonados. “Dão comida aos bichos e depois eles multiplicam-se. A comida estraga-se e cheira mal e em poucos anos já temos aqui uns seis cães abandonados”, condena.O presidente da junta de freguesia, Jorge Ribeiro (PS), já conhece a maioria destas situações e colocou recentemente um apelo no site da autarquia na internet no qual apela ao civismo da população. “O vandalismo e negligência de que são alvo os equipamentos de recolha de lixo, os parques infantis, as paragens de autocarros e outros equipamentos públicos, não contribuem decididamente para a nossa qualidade de vida”, critica. Numa cidade com 30 mil habitantes Jorge Ribeiro diz que é preciso os moradores começarem a agir e mostra-se disponível para analisar todas as reclamações.“Muitas vezes há situações em que a falta de civismo de uma minoria prejudica gravemente os direitos da comunidade”, acrescenta. Todos os anos os custos com a reposição ou reparação de equipamentos públicos vandalizados ronda os milhares de euros. Dinheiro gasto do erário público que, entende Marco Costa, morador, poderia ser utilizado na melhoria da cidade. Recentemente, na rua onde vive, três desconhecidos incendiaram dois contentores do lixo pela calada da noite. “Por sorte passou um carro da PSP que viu o fogo e chamou os bombeiros, que apagaram o incêndio antes que se espalhasse aos carros que estavam estacionados ali perto”, conta.A polícia admite que é difícil apanhar em flagrante quem comete um acto de vandalismo devido. Mas garante que os núcleos de investigação criminal estão atentos ao fenómeno.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...