uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Histriónico Manuel Serra d’Aire

Edição de 23.05.2012 | E-mails do outro mundo
A Internet revela-nos coisas fabulosas e uma das últimas que encontrei foi a da corrida em massa ao cartão de militante do PS do Cartaxo no Verão passado. Pelas contas por alto que fiz, cerca de 200 pessoas (metade do universo concelhio de militantes) aderiram ao partido em plena época estival e pouco tempo depois do PS ter levado uma valente coça nas eleições legislativas. Perante estes factos, facilmente confirmáveis na página do partido na Internet, fiquei estupefacto. Então a maior parte dos portugueses não são habitualmente do tipo “maria vai com as outras” que costumam colar-se aos vencedores? E o que terá levado tanta gente a correr para a sede de um partido em pleno Verão quando há tanta praia à mão de semear e coisas melhores para fazer? Não terá havido um abuso colectivo do tintol local que possa ter levado essa multidão à sede do partido errado? Afinal de contas só um “D” os separa e o Cartaxo é uma cidade pequena...Também estou preocupado com os estudantes de Vila Franca de Xira que, coitados, por causa da crise não têm dinheiro para poderem praticar desportos tão populares entre a sua faixa etária (e não só) como o levantamento de copos e o arremesso de beatas. Como eu os compreendo. Quando este que se assina passeava os livros e tentava caçar garinas na escola secundária, algures no século passado, era inconcebível que o plano curricular de cada ano lectivo não contemplasse tabaco e umas bejecas q.b. ou, à falta de melhor, uns bagacitos para aquecer. Se querem que o insucesso escolar não dispare para números dramáticos há que tomar medidas. Quem é que se consegue concentrar nos estudos sem, digamos, uns estimulantes para a cabeça e para o espírito? É bom que o Governo e a acção social escolar tenham atenção a este fenómeno, começando a servir vinho em vez de água nas cantinas e um cigarrinho no lugar da sobremesa. Porque os pobres coitados dos pais já não têm dinheiro para alimentar vícios.E por falar em falta de dinheiro, ainda não ouvi dizer nada sobre se este ano há bilhetes à borla para as touradas que vão realizar-se em Junho na praça de Santarém. Será que com a anunciada ida de Moita Flores para Oeiras se acaba a mama para umas boas centenas de aficionados que já estavam habituados há uns anos a ver tourada à borla? A ser assim é uma injustiça. Trata-se de direitos adquiridos que não podem ser vilmente ignorados.Os nossos velhos e desgastados autarcas começam a debandar aos poucos. O que irá ser deles a partir de 2013? A maior parte, provavelmente, já não sabe fazer mais nada; embora em relação a alguns também subsistam legítimas dúvidas sobre a sua competência como autarcas. Os escritores Moita Flores e Joaquim Ramos e o historiador António Rodrigues, por exemplo, devem ter o futuro garantido no ramo das letras, tal como o Jaime Ramos do Entroncamento pode muito bem ganhar a vida como duplo do durão Charles Bronson, tais são as parecenças. Mas os outros, meu caro, os outros, que será deles sem despachos para assinar e parques infantis para inaugurar?Com esta angustiante dúvida me despeçoUm abraço quebra-costas do Serafim das Neves

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...